|
A+ / A-

​Marcelo pede união. “Tem de haver uma só Europa”

12 nov, 2019 - 12:45 • Redação com Lusa

Presidente da República lança apelo ao lado do seu homólogo italiano, no âmbito de uma visita de Estado a Itália.

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apela a uma união europeia, em várias matérias, como migrações e economia.

“É preciso que a Europa tenha uma posição comum sobre migrações. Europa tem de definir as suas linhas económicas e financeiras para o futuro. A Europa não pode dividir-se, tem de se unir, tem de haver uma só Europa”, disse Marcelo, durante a visita de Estado que está a fazer a Itália.

Esta terça-feira, Marcelo Rebelo de Sousa foi recebido pelo seu homólogo italiano, Sérgio Mattarella, no Palácio do Quirinal, com uma cerimónia oficial de boas-vindas com honras militares.

Sergio Mattarella afirmou igualmente que existe "uma visão comum" entre os dois países sobre o atual quadro europeu e prometeu que a Itália irá apoiar "de todas as formas" a presidência portuguesa da União Europeia, em 2021.

Quanto às migrações, o Presidente italiano sustentou que "só a União tem a dimensão e possibilidade de afrontar o problema com eficácia" e que nenhum Estado-membro é capaz de o fazer sozinho.

Sobre esta matéria, Marcelo disse ainda que "Portugal tem testemunhado a sua solidariedade no acolhimento aos migrantes, no apoio à Itália" e se tem empenhado "na procura de soluções que sejam de toda a Europa, mas flexíveis, sensatas, moderadas - como é o caso daquelas recentemente objeto de consenso em Malta".

Ainda esta terça-feira, o chefe de Estado será recebido também pelo primeiro-ministro Giuseppe Conte. Marcelo Rebelo de Sousa chegou à capital italiana na segunda-feira à tarde e termina a visita em Bolonha, na quarta-feira.

Na segunda-feira à noite, perante representantes da comunidade portuguesa em Itália, Marcelo Rebelo de Sousa falou da sua "relação fraternal" com Sergio Mattarella e elogiou a sua "personalidade excecional, como homem, como jurista, como humanista, como político, como estadista".

O Presidente da República referiu que os dois são "professores de Direito, do mesmo grupo dos professores de Direito a que também pertenciam há 30 anos ou mais o atual Presidente alemão e o atual Presidente grego", observando: "São assim as vicissitudes do destino".

Quanto aos objetivos desta visita, à chegada a Roma, afirmou: "Estreitamento das relações entre Portugal e a Itália, posições comuns sobre a União Europeia, colaboração em relação a África, a pensar na cimeira durante a presidência portuguesa, e visão transatlântica e debate sobre a NATO".

Nesta visita à quarta maior economia da União Europeia, Marcelo Rebelo de Sousa está acompanhado pela secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias, e pelos deputados à Assembleia da República Jorge Lacão, do PS, Adão Silva, do PSD, e Bruno Dias, do PCP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.