Tempo
|
A+ / A-

​Deputados da comissão de Ambiente aprovam vinda de Greta Thunberg a Portugal

12 nov, 2019 - 19:59

Parlamento quer convidar jovem ativista que, em dezembro, vai marcar presença numa conferência da ONU sobre as alterações climáticas em Madrid, Espanha.

A+ / A-

Os deputados da comissão parlamentar de Ambiente aprovaram esta terça-feira, por unanimidade, a proposta para a vinda da ativista sueca Greta Thunberg a Portugal.

A proposta foi apresentada pelo presidente da Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território, José Maria Cardoso (BE) e mereceu a aprovação dos deputados.

"Foi uma proposta apresentada por mim e aprovada por unanimidade, que foi assumida por toda a comissão. Esta é uma vontade que vem já da anterior legislatura", disse José Maria Cardoso, em declarações à Lusa.

De acordo com o presidente da comissão parlamentar de Ambiente, considerou-se agora ser "mais possível" a vinda de Greta a Portugal, tendo em conta que a ativista vai participar, em dezembro, numa conferência da ONU sobre as alterações climáticas em Madrid, Espanha.

"A vinda [de Greta Thunberg] a Portugal servirá para reconhecer o trabalho desta ativista no que se refere às alterações climáticas [...] e também responde à vontade manifestada por vários grupos de jovens", acrescentou.

Esta proposta segue agora para deliberação pelo presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e só após esta decisão é que será endereçado um convite à jovem sueca e agendada uma data.

Em setembro de 2018, Greta Thunberg iniciou uma greve escolar em frente ao parlamento sueco para exigir medidas contra as alterações climáticas, que inspiraram um movimento global e levaram-na a ser recebida pelos líderes mundiais e a participar de conferências de alto nível.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Petervlg
    13 nov, 2019 Trofa 09:23
    Se calhar vem a Portugal incentivar os jovens a faltar as aulas, para juntarem-se as portas do Parlamento a protestar, mas não esqueçam de levar o telemóvel, que é para colocar nas redes socias, fotos ou vídeos. Já deve ter reprovado na escola, as faltas que dá, mas ela não necessita já orientou a sua vida