|
A+ / A-

PJ detém membros de organização criminosa de apoio à imigração ilegal

09 nov, 2019 - 13:16 • Lusa

Os detidos têm idades entre os 28 e os 30 anos e são suspeitos de ligação a uma rede criminosa internacional, especializada em recrutar mulheres para casamentos de conveniência.

A+ / A-

A Polícia Judiciária (PJ) deteve três membros de uma organização criminosa internacional responsável pela introdução ilegal de imigrantes em Portugal e na Europa, que recrutava mulheres para casamentos de conveniência.

“Foram apreendidos relevantes elementos de prova, sobretudo de natureza documental, e procedeu-se à detenção de três pessoas suspeitas de ligação a esta estrutura criminosa internacional, especializada em recrutar mulheres para casamentos de conveniência, as quais mantêm sob coação até à legalização definitiva dos respetivos imigrantes”, lê-se no comunicado da PJ.

De acordo com a polícia, os detidos têm idades entre os 28 e os 30 anos e foi a Unidade Nacional Contra-Terrorismo (UNCT) que procedeu ao cumprimento de mandados de busca e apreensão e de Mandados de Detenção.

A PJ adianta que os três detidos são suspeitos da prática dos crimes de associação criminosa, auxílio à imigração ilegal, de casamento por conveniência, de falsificação de documentos, de ameaças e coação, de sequestro e extorsão, “atividade criminosa que permitiu obter elevados proventos financeiros”.

A PJ indica ainda, “na sequência de submissão a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal de Sintra”, os três arguidos ficaram sujeitos à medida de coação de prisão preventiva.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.