A+ / A-

PSD. Anterior apoiante de Rio, Leitão Amaro vai apoiar Luís Montenegro

08 nov, 2019 - 14:34 • Agência Lusa

“Tenho estima por Rui Rio, mas acho que Luís Montenegro é melhor, significativamente melhor”, diz ex-deputado.

A+ / A-

O ex-deputado do PSD António Leitão Amaro, apoiante de Rui Rio no congresso anterior do partido, vai estar ao lado de Luís Montenegro na sua candidatura à liderança do partido porque “é significativamente melhor” do que o atual presidente.

Em declarações à agência Lusa esta sexta-feira, Leitão Amaro explicou por que motivo apoia Luís Montenegro, líder parlamentar de 2011 a 2015, e não Rui Rio: “Tenho estima por Rui Rio, mas acho que Luís Montenegro é melhor, significativamente melhor.”

Para o ex-vice-presidente da bancada social-democrata, há “três diferenças decisivas” que o fazem apoiar Montenegro, de maior “capacidade política”, uma “ideia estratégica de partido” e capaz de lançar “um projeto inspirador”.

Leitão Amaro recordou que o PSD teve os seus “piores resultados em 35 anos” devido a “más opções” feitas pela liderança de Rui Rio, como foi, em sua opinião, “o erro crasso” de alinhar com parte da esquerda no parlamento na votação na recuperação das carreiras dos professores.

Montenegro, afirmou, tem características “mais viáveis” para “ser capaz de construir uma oposição mais eficaz” com “um caminho alternativo”.

Na “ideia estratégica de partido”, António Leitão Amaro é contrário à estratégia de colocar o PSD ao centro, seguida por Rio, e de acordos com o PS e o Governo.

Além do mais, “em dois anos” o “partido fechou-se”, não teve “capacidade nem de abrir [à sociedade] nem de unir”.

Rui Rio e “alguns dirigentes” tentaram reverter posições estratégicas de Sá Carneiro, Cavaco Silva, ou Pedro Passos Coelho, insistindo que o partido deve ter “uma posição de alternativa ao PS, não de subordinação e de muleta”, e que “agregue as várias sensibilidades no centro e na direita”.

É preciso, defendeu, que o PSD “seja uma grande casa eminentemente e maioritariamente social-democrata, mas aberta outras sensibilidades”, entre eles pessoas com origem na democracia-cristã, liberais ou conservadores.

O Conselho Nacional do PSD vai reunir-se hoje em Bragança para marcar a eleição direta do presidente do partido e o próximo congresso.

A direção propõe que o 38.º congresso se realize em Viana do Castelo entre 07 e 09 de fevereiro, após as eleições diretas para o presidente do PSD em 11 de janeiro, com uma eventual segunda volta no dia 18.

Além de Rui Rio, que se recandidata, há mais dois candidatos, o ex-líder parlamentar Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz, vereador na câmara de Cascais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Petervlg
    08 nov, 2019 Trofa 18:02
    Montenegro prometeu tacho
  • J M
    08 nov, 2019 Seixal 17:08
    O vento soprou para o outro lado. São estas as convicções politicas dos militantes do PSD. Cuidado eles estão a voltar ao ataque. Para esta gente, reformas significa retirar dinheiro e direitos sociais há população mais desfavorecida. Não é por acaso que toda a direita fala na necessidade de reformar o país mas não dizem o que vão fazer.