|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

“Grave carência de médicos” no Hospital Santa Maria. Urgência sem condições

07 nov, 2019 - 12:04 • Ana Rodrigues

A denúncia é feita pelos próprios profissionais, numa minuta de escusa de responsabilidades. “As equipas escaladas para o serviço de Urgência não cumprem os mínimos recomendados pela Ordem”, revela uma das chefes de equipa à Renascença.

A+ / A-

Os chefes de equipa do serviço de urgência do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, que engloba os hospitais de Santa Maria e Pulido Valente, recusam assumir responsabilidades sobre a assistência aos doentes por falta de médicos.

Numa minuta de escusa de responsabilidades entregue à administração, alegam que "não estão reunidas as condições para a prestação de cuidados de saúde de qualidade e com a necessária segurança”.

Em declarações à Renascença, Nídia Zózimo, uma das chefes de equipa do Santa Maria, refere que há “uma situação de grave carência de médicos, mas essencialmente uma escassez enorme de especialistas”.

Segundo esta médica, “uma equipa que tinha seis especialistas, agora tem três e é uma das mais completas. Existem equipas com apenas um especialista. Os outros são internos com um ou dois anos de experiência”.

Além disso, “as equipas escaladas para o serviço de Urgência não cumprem os mínimos recomendados pela Ordem dos Médicos para que seja assegurado o cumprimento das boas práticas clínicas, no período das 20h00 às 8 horas, durante os dias da semana, e durante as 24 horas dos fins-de-semana e feriados".

Quanto ao que pode, nesta altura, ser feito para colmatar a falta de especialistas, Nídia Zózimo não tem dúvidas: “o problema está na dureza do trabalho em Santa Maria, que é um autêntico porta-aviões”.

Por isso, “é preciso tornar mais atrativo ir para Santa Maria. A tutela tem de dar incentivos para fixar os especialistas”, receita.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António José Tadeu
    07 nov, 2019 ALMADA 18:40
    Pensei que fosse no "deserto" (diga-se margem sul), no Hospital Garcia de Orta, que existiam problemas (urgências pediátricas e não só) pelos vistos o Hospital universitário de Santa Maria tem grandes carências... Esquerda... Esquerda... Onde estás?... Carrega povo!