A+ / A-

Balcão "empresa na hora" já recebeu 30 pedidos de estrangeiros na Web Summit

06 nov, 2019 - 15:06 • José Carlos Silva

Projeto foi relançado esta quarta-feira na conferência de tecnologia pela secretária de Estado da Justiça.

A+ / A-

Foram apresentadas três dezenas de pedidos de informação no balcão "empresa na hora" para estrangeiros que foi montado na Web Summit, em Lisboa.

O projeto nascido em setembro foi relançado esta quarta-feira pela secretaria de Estado da Justiça na maior conferência tecnológica do mundo, que decorre até quinta-feira na capital portuguesa.

Nenhuma empresa se registou ainda no balcão, mas 30 pediram informações, sendo sobretudo empresas libanesas, britânicas e brasileiras.

A secretária de Estado da Justiça, Anabela Pedroso, fez as honras da casa. No Pavilhão Portugal, deu conta de que, para além do balcão que funciona em Benfica desde setembro, a partir de hoje haverá outro no Porto, na zona da Exponor.

Através deste balcão, em 40 minutos um estrangeiro consegue ver formalizada a sua empresa em Portugal, sendo-lhe atribuído um número de contribuinte provisório. O empresário regista o nome do seu negócio e tem automaticamente acesso ao pacto social, já devidamente traduzido, dispensando a intervenção de advogados no processo.

À Renascença, Anabela Pedroso sublinha a rapidez do processo e diz esperar que até ao final da Web Summit, amanhã, já seja possível contar com empresas estrangeiras formalizadas em Portugal por esta via.

De acordo com números oficiais, até outubro deste ano foram criadas 20 mil empresas em Portugal através do balcão "empresa na hora". Dessas, mais de 4 mil tinham a participação de sócios estrangeiros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.