Tempo
|
A+ / A-

Israel vai expulsar diretor da Human Rights Watch

05 nov, 2019 - 17:42 • Redação com Reuters

Supremo validou decisão do ministro do Interior de deportar Omar Shakir, que foi acusado de apoiar uma campanha internacional de boicote pró-Palestina.

A+ / A-

O Supremo Tribunal de Israel confirmou esta terça-feira a decisão do Governo de expulsar o norte-americano Omar Shakir, responsável no país pela organização não-governamental Human Rights Watch (HRW).

Omar Shakir, que também representa a organização humanitária nos territórios palestinianos ocupados, tem agora 20 dias para deixar Israel.

O Supremo validou a decisão do ministro do Interior de deportar o diretor da Human Rights Watch, por considerar que Shakir apoiou uma campanha internacional de boicote pró-palestiniana.

Israel acusa Omar Shakir de ser um apoiante de sanções contra o país, devido à política de colonatos na Cisjordânia.

Uma lei de 2017 impede a entrada em Israel de pessoas que publicamente apoiem o boicote ao país e aos colonatos nos territórios ocupados.

O diretor da Human Rights Watch considera que o tribunal deu aval à deportação em detrimento da defesa dos seus direitos.

Com esta decisão, Israel junta-se à Coreia do Norte, ao Irão e ao Egito na lista de países que impedem a presença de elementos da organização humanitária nos seus territórios.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.