|
A+ / A-

Final da Libertadores vai realizar-se no Peru a 23 de novembro

05 nov, 2019 - 23:00 • Redação

A instabilidade social vivida no Chile obrigada o Flamengo-River Plate a mudar-se para Lima, mas a data original mantém-se.

A+ / A-

A Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL) anunciou, esta terça-feira, que mudou a organização da Taça Libertadores, inicialmente com sede no Chile, para Lima, capital do Peru. A data mantém-se: o Flamengo de Jorge Jesus defrontará o River Plate a 23 de novembro.

A instabilidade social no Chile, nomeadamente nas ruas de Santiago, cidade que ia acolher a final da Libertadores, continua sem fim à vista. Os protestos da população chilena contra o aumento do preço dos transportes públicos da capital levaram os organizadores da prova a tirá-la daquele país e a mudá-la para o Peru, com a mesma data.

No site oficial, a CONMEBOL confirma que a mudança foi feita por "circunstâncias de força maior e ordem pública, analisadas e avaliadas com prudência, considerando a segurança dos jogadores, do público e das delegações". "A eleição do novo cenário apoia-se no oferecimento do governo do Peru e nas garantias de segurança que deu", pode ler-se.

A decisão teve o consenso dos presidentes de Flamengo e River Plate, das federações do Brasil, da Argentina e do Chile, "e sustentou-se na política de realizar cada uma das finais únicas em diferentes países".

A CONMEBOL termina a comunicação a agradecer "vivamente" ao governo do Chile pela "ativa colaboração que as diversas repartições públicas prestaram para a correta organização" da final da Libertadores:

"Desejamos ao povo chileno e às suas autoridades paz e boa vontade."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.