A+ / A-
Web Summit 2019

Siza Vieira reafirma que Portugal quer mais investimento da UE no combate às alterações climáticas

05 nov, 2019 - 16:54 • José Pedro Frazão

Brexit não deve travar o contributo dos países mais ricos, defende o ministro da Economia.

A+ / A-

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, voltou a afirmar esta terça-feira que Portugal defende mais investimento da União Europeia no combate às alterações climáticas e na inovação e ciência.

No segundo dia da Web Summit, maior conferência de tecnologia do mundo, a decorrer em Lisboa até quinta-feira, Siza Vieira também defendeu que o Brexit não deve travar o contributo dos países mais ricos e assumiu que Portugal está disponível para contribuir para o Orçamento comunitário com mais dinheiro.

"Portugal em particular já se manifestou não apenas no sentido de que está disponível para aumentar a sua contribuição para a União Europeia como chama a atenção para a circunstância de que, apesar de termos menos um país que é um grande contribuinte [o Reino Unido], a União tem, além das políticas atuais, de fazer face a novas necessidades que estão claramente identificadas como sendo prioridades da União. Estamos a falar de coisas como as alterações climáticas, como a inovação e a ciência, como as migrações e a defesa das nossas fronteiras."

Para enfrentar estes desafios, defende o ministro português, são precisas "novas fontes de financiamento e é nesse contexto que estamos a ter a discussão".

"Aquilo que é a contribuição dos Estados em geral vai aumentar. Em que medida e como é que depois vamos distribuir é isso que, neste momento, está a ser discutido ao nível do Conselho Europeu", adiantou Siza Vieira esta tarde.

As declarações foram proferidas à margem da assinatura de um contrato que vai gerar um novo fundo de investimento para 'startups' ibéricas com base em dinheiros privados e públicos, incluindo fundos comunitários, num total de 30 milhões de euros para novas empresas do setor tecnológico.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.