|
Henrique Raposo
Opinião de Henrique Raposo
A+ / A-

nem ateu nem fariseu

​Nem um voto cristão no Chega

31 out, 2019 • Opinião de Henrique Raposo


O catolicismo não é uma tribo entre tribos, é a ponte entre tribos; “nacionalista católico” é uma contradição nos termos como “comunista capitalista”. Se escolher votar no Chega, um católico está a deixar de ser católico.

O populismo nacionalista chegou a Portugal. E começa da mesma maneira: o Chega, à semelhança dos restantes partidos de extrema-direita da Europa, é um necrófago que se alimenta do cadáver da velha extrema esquerda. O Chega está a crescer nos terrenos que deviam ser do PCP. Este mal, que pode crescer, é para levar a sério. Neste sentido, importa deixar já um aviso aos católicos portugueses. O próximo passo deste partido será lançar um certo canto de sereia sobre o eleitorado católico através de posições fortes sobre aborto e eutanásia.

É um passo conhecido. Por esse mundo fora, da Polónia e Hungria, passando pelo Brasil e EUA, partes do mundo cristão têm apoiado líderes autoritários e abertamente xenófobos em troca de leis ou posições anti-aborto. Lamento, mas um mal não se corrige com outro mal. Há que ter cuidado. Ir atrás desse canto da sereia tem um preço que um católico não pode pagar: apoiar um partido abertamente racista, um partido que transforma o (alegado) amor por Portugal numa desculpa para derramar ódio sobre minorias, um partido que é portanto a negação do evangelho. O catolicismo é uma antídoto contra o nacionalismo. O catolicismo não é uma tribo entre tribos, é a ponte entre tribos; “nacionalista católico” é uma contradição nos termos como “comunista capitalista”. Se escolher votar no Chega, um católico está a deixar de ser católico.

Como todos os partidos de extrema-direita, o Chega olha para problemas reais que mais ninguém quer ver, mas as respostas que dá são inaceitáveis e abjectas. Nenhum católico pode aceitar a estigmatização de um grupo inteiro de pessoas. Um católico não vê grupos, não vê classes, não vê raças ou etnias, vê seres humanos. É verdade que o arco suburbano em redor de Lisboa está cravado de problemas de integração e de choques (quase) invisíveis entre diferentes comunidades. Mas a solução para estes problemas é deixarmos de ver as pessoas como propriedade de uma “comunidade”, a solução é vermos as pessoas como pessoas, como indivíduos, como cidadãos da república. O católico deve lutar por este chão comum republicano onde todos são iguais em direitos e deveres. O cristão não pode jamais apoiar um nacionalismo racista, porque “católico racista” é outra contradição nos termos. É a grande contradição nos termos: nas Escrituras, Jesus Cristo é bastante claro no seu amor pelos mestiços. O bom samaritano, por exemplo, era o mulato do seu tempo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anonimo
    24 dez, 2019 Lisboa 15:40
    Quanto, mas quanto disparate. Se calhar os bons católicos devem votar no bloco de esquerda ou no livre, porque esses não são racistas O fim da subsidiodependência não se deve restringir a uma etnia, mas à generalidade de portugueses que "vivem à conta"! Sou católico e votarei Chega. Porque chega de ausência de respostas a tanta e tanta corrupção, a tanto tacho da geringonça, a tanta falta de lucidez em relação à invasão muçulmana dissimulada e silenciosa da Europa, à falta de ação para resolver problemas concretos que são adiados de governo em governo. Não sei se o senhor se este senhor se afirma cristão. Eu sou-o e não promovo racismo ou xenofobia. Mas promovo lucidez e ação concreta!
  • Vera Costa
    10 nov, 2019 03:31
    Quando escrevo um comentário para aqui, escrevo aquilo que na minha ideia, pode ajudar o povo deste país, de onde pertenço! Se não for publicado, para mim não tem importância alguma, porque sei que não o escrevi em vão, alguém desse lado, o leu! E por vontade de Deus, o que escrevi, irá parar onde for preciso! até pode ir parar ao lixo e alguém o pode lá ir buscar e encaminhá-lo! Só para terminar: um país católico deve ter direito a um referendo, para votar 'eutanásia' SIM ou NÃO, porque não é nenhum partido que decide, são várias igrejas cristãs! mas como as igrejas não têm política, terão que ser os cidadãos a fazê-lo!... Na Holanda morreu uma rapariga de 16 anos, por esse processo, por não ter um emprego! desorientou-se e assinou! era uma rapariga saudável... Isto não pode acontecer.
  • Tiago
    04 nov, 2019 Monteiro Dias 10:11
    Senhor Henrique Raposo, V. Ex.ª leu o programa político do Chega? Viu, por exemplo, que a posição deste partido em relação ao aborto é completamente contrária à bioética católica e, portanto, inaceitável? Como pode V. Ex.ª usar a expressão "anti-aborto" para classificar esse partido? E quem é que lhe disse que o «católico deve lutar por este chão comum republicano»? Estará, porventura, a confundir a república com a democracia? O católico tem de lutar pela instauração do Reino de Deus, pelo Evangelho, e pela cristianização de todas as instituições onde ele estiver presente. O católico não tem de ser republicano: tem de ser católico, antes de mais! E ser católico obriga a que, quem professa esse credo, recuse votar em qualquer partido que seja a favor do aborto provocado, porque, se o fizer, será cúmplice. Assim sendo, V. Ex.ª escreveu algum artigo a dizer que os católicos não podem votar no Partido Social Democrata, no Partido Socialista, no Partido Comunista, no Bloco de Esquerda ou no Livre? Poderá Jesus Cristo ser chamado de xenófobo por ter criticado tanto o grupo dos fariseus, por ter lutado tanto contra os erros desse grupo? Os homens inteligentes não lutam contra pessoas, lutam contra ideias e acções... O senhor está a confundir o pecado com o pecador. Como dizia um dos meus professores: «quem não distingue, confunde» e neste texto vai uma grande confusão. «Ninguém pode servir bem a dois senhores»...
  • Filipe Santos
    03 nov, 2019 Porto 13:26
    O Henrique Raposo apropria-se de todas as instituições com as quais se identifica. Felizmente a Igreja Católica não é um clube de futebol para que o Sr. Raposo faça mais um dos seus ridículos abaixo assinados a exigir a expulsão do Doutor André Ventura. Em vez de levar falsos testemunhos o Sr. Raposo deveria ser mais concreto e dizer qual a medida apresentada no Parlamento pelo Doutor André que representa uma bandeira de extrema direita. É pecado falar de certas etnias que vivem de subsídios? Isso é xenofobia? Vamos esperar pelo dia que chegar o debate sobre a eutanásia ao Parlamento e ver quem defende os valores cristãos.
  • Samuel
    02 nov, 2019 Loutes5 14:45
    Texto ridículo sem fundamento algum. Extrema direita porque? Racista? Então eu sou racista porque acredito que todos têm de viver e cumprir as mesmas regras? Pena só se falar do que se ouve sem sequer procurar por nós mesmos..
  • José Costa
    02 nov, 2019 Amadora 06:21
    Caro concidadão, por favor não misture religião com politica. Eu sou católico, apostólico, romano, não sou comunista/ socialista nem é por aí que está a virtude. Jesus Cristo deu a face mas também expulsou os vendilhões do templo, cuidado com os falsos profetas. Os comunistas não dão nada a ninguém, tiram tudo aos outros, igualam por baixo, mas vivem um social fascismo, quem governa é rico. O Chega pode ser a luz ao fundo do túnel para a escumalha comunista/ pseudo-socialista que inunda este país, pois se temos 52% de abstenção por alguma razão é. A via é aqueles que duvidam dos políticos e não votam pois não pactuam com a miséria das politicas socialistas/ comunistas. deixemos de ser medíocres e esperar que os outros nos deiam o fruto do seu trabalho, é isso que o socialismo profecia. Falácias falso profeta, como católico não penso desta forma, antes pelo contrário, trabalha que eu te ajudarei não é; não trabalhes que tens o RSI garantido. Se existem cadáveres do PCP é porque os cidadãos estão a ficar informados e sabem que não é no comunismo que está a virtude. Não sou racista mas penso que quem fala nisso é quem o é. Deus é amor e ama todos os seus filhos, quem quer ser ou viver à margem da sociedade é porque não quer ser filho de Deus, ser filho de Deus é aceitar os seus desígnios mas tem muita gente a querer viver na sombra dos desígnios de Deus. Atentemos nas leis de Cristo e vamos cumpri-las ... nem todos querem cumprir é mais fácil sentir-se vitima ...
  • António Martins
    01 nov, 2019 17:14
    Habitualmente em desacordo com este senhor, desta vez deparei-me com aquilo que me apetece classificar como "um quase milagre de excepção à regra". Um excelente e lúcido texto que recomendo aos meus amigos. E, claro, aos outros também. E já agora, uma pequena consideração-pergunta, de desejo e esperança: Será mesmo que, com sinais aqui e ali e cada vez mais notórios, está por aí a acontecer o renascimento da igreja católica, verdadeiramente cristã, por efeito e mérito do Papa Francisco? Tenho, meus amigos, cada vez mais, essa maravilhosa, embora expectante, sensação.
  • Vaz Vaz
    01 nov, 2019 14:58
    Lamento que a cegueira demagógica e o fundamentalismo levem pessoas a escrever o que acabei de ler.
  • Desabafo Assim
    01 nov, 2019 14:05
    Tendo em vista as insinuações do comentário (sem fundamento justificativo), que de forma indireta podem ser induzidas ao moderador, o lucro dos chips, compreendo a não publicação, aconselho até.
  • paulo jorge
    01 nov, 2019 Coimbra 13:38
    Agradecemos, mas o Magistério da Igreja já há muito definiu em que género de partidos devem, ou não. os católicos votar.