Tempo
|
Jacinto Lucas Pires-Henrique Raposo
Um escritor, dramaturgo e cineasta e um “proletário do teclado” e cronista. Discordam profundamente na maior parte dos temas. À segunda e quarta, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo - Programa de Governo e ADSE - 30/10/2019
Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo - Programa de Governo e ADSE - 30/10/2019

J. Lucas Pires

Programa de Governo tem "boas intenções, mas falta de ambição"

30 out, 2019


Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo debatem o programa do Governo e a sustentabilidade da ADSE.

Há boas ideias e outras menos boas, mas, no geral, o programa do Governo debatido nesta quarta-feira no Parlamento tem “boas intenções, mas falta de ambição”, diz Jacinto Lucas Pires.

No entender deste comentador, há matérias em que o executivo podia ir mais longe – por exemplo, na luta contra a desigualdade, na defesa do ambiente, na educação e na cultura (“instrumentos do futuro”). “Não se vai tão longe como se deveria ir”.

Henrique Raposo aponta, por seu lado, contradições e critica a “obsessão com o salário mínimo, quanto o problema é o salário médio”.

“Há pessoas sem capacidade de construir família”, refere, lembrando que o trabalho precário é hoje a principal causa de endividamento.

No campo ambiental, Henrique Raposo denuncia a plantação de abacates no Sul do país: “Não tens água no Alentejo e no Algarve e o Governo permite a plantação de abacates? Que política ambientalista é esta?”, questiona o comentador, avançando que “o abacate é um sorvedor de água incrível”.

Sobre o outro tema em análise, a ADSE, Jacinto Lucas Pires defende uma reflexão, pois considera que, nos termos em que hoje existe, “não parece ser sustentável”.

“Ou se vai para outra solução ou se alarga a outras pessoas, não funcionários públicos”, sugere.

Já Henrique Raposo aponta o dedo à esquerda e diz que “o alegado pai do SNS, António Arnault, queria acabar com a ADSE e o João Semedo, do Bloco de Esquerda, queria acabar com a ADSE”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.