A+ / A-

Religiões juntam-se para condenar a eutanásia

28 out, 2019 - 10:30 • Filipe d'Avillez

Encontro decorreu no Vaticano e juntou representantes das principais religiões abraâmicas.

A+ / A-

Representantes das três principais religiões abraâmicas, o judaísmo, o cristianismo e o islão, juntaram-se esta segunda-feira em Roma para assinar uma declaração conjunta sobre os cuidados em fim de vida, que inclui uma condenação à eutanásia.

No documento final do encontro, aprovado pelos presentes, lê-se que a eutanásia e o suicídio assistido são “inerentemente, e por consequência moral e religiosamente errados e devem ser proibidos sem exceção”.

Os signatários rejeitam ainda “categoricamente, qualquer pressão sobre doentes em final de vida no sentido de tomarem medidas ativas e deliberadas para por fim à sua vida”.

Fazendo eco da tomada de posição da Associação Médica Mundial, divulgada no passado fim-de-semana, os representantes religiosos dizem ainda que “nenhum profissional de saúde deve ser coagido ou pressionado para assistir direta ou indiretamente na morte deliberada e intencional de um paciente através do suicídio assistido ou qualquer forma de eutanásia, sobretudo quando isso atentar contra as crenças religiosas do prestador de cuidados”. O respeito pela objeção de consciência é ainda mais importante em casos em que a prática foi legalizada.

Por fim, o documento apela ao investimento nos cuidados paliativos. “Mesmo quando os esforços para adiar a morte se apresentam como injustificadamente onerosos, temos a obrigação moral e religiosa de fornecer conforto, alívio efetivo de dor e sintomas, companhia cuidado e assistência espiritual ao paciente em fim de vida e à sua família”, lê-se.

A Igreja Católica foi representada neste encontro por monsenhor Vincenzo Paglia, presidente da Academia Pontifícia para a Vida. O rabino Avraham Steinberg e o sheikh Al-Issa representaram respetivamente o judaísmo e o islão.

O documento foi assinado numa cerimónia em Roma, tendo o grupo sido recebido posteriormente pelo Papa Francisco em audiência.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    10 nov, 2019 12:03
    A eutanásia, consiste em provocar, consciente e voluntariamente, a morte de um ser humano inocente ou não. E quando uma sociedade não defende a vida em todas as circunstâncias, e legitima e promove o aborto e a eutanásia, crimes hediondos que envergonham a civilização…já ninguém, em nenhum país, merece estar em segurança. E estamos a verificá-lo, no dia-a-dia, em todo o mundo.
  • zaico uchiha
    31 out, 2019 16:58
    ...mas o leão não acedeu...
  • zaico uchiha
    31 out, 2019 16:51
    É bom juntarem se para orarem, muito bom mesmo mas compreendam que puxar a juba do leão para abreviar é mais forte em miseráveis condições.