|
A+ / A-

Marcelo. "Este crescimento económico não chega"

22 out, 2019 - 22:00 • Redação com Lusa

No encerramento do Congresso da CIP, o Presidente proferiu um discurso "rendilhado" e repleto de recados, deixando um aviso: os "infortúnios" podem chegar "mais cedo do que o esperado"

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, advertiu, esta terça-feira, para o facto de o crescimento económico em Portugal ser ainda muito insuficiente.

"Importa e importa muito haver mais e mais sustentável crescimento económico. Este que temos não chega", afirmou o Presidente, no encerramento do Congresso da CIP - Confederação Empresarial de Portugal.

Mais à frente, o Presidente da República considerou que Portugal tem um "crescimento da economia claramente insuficiente" e precisa de "mais e mais sustentável crescimento económico", assim como de "melhor balança externa, mais acelerada correção de desigualdades - e, para tudo isso, maior produtividade e, portanto, maior competitividade".

Num discurso "rendilhado" e repleto de recados, Marcelo foi direto num aviso: os infortúnios podem chegar."mais cedo do que o esperado"

"É insensato não apostar em metas mais ambiciosas e vai proporcionar apertos a não muito longo prazo se nós esperarmos que os infortúnios aparecerão o mais tarde possível. Eles virão mais cedo do que esperado", advertiu, recomendando por isso "metas claras e ambiciosas" e "racionalidade no juízo analítico dos fatores e das situações".

O Presidente prometeu ficar "vigilante", sublinhando que "é preciso que as instituições, todas elas, saibam proporcionar condições de estabilidade política, de estabilidade financeira, de estabilidade fiscal, de estabilidade social". Ao Presidente da República compete "ser um fator vigilante de estabilidade".

Marcelo Rebelo de Sousa, que vai dar posse ao governo no sábado, avisou que pode haver consenso nacional sobre muita coisa, mas, se não houver estabilidade política, os consensos de pouco valem

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.