|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Início da XIV Legislatura. Novo parlamento toma posse na sexta-feira

22 out, 2019 - 20:45 • Redação com Lusa

A questão da distribuição dos lugares no hemiciclo não foi discutida na reunião desta terça-feira porque para a primeira sessão, a da posse, já tinha ficado definida.

A+ / A-

O novo parlamento, saído das eleições de 6 de outrubro, toma posse na sexta-feira, dando-se, assim, início à XIV Legislatura.

A decisão foi tomada em conferência de líderes.

A questão da distribuição dos lugares no hemiciclo não foi discutida na reunião desta terça-feira porque para a primeira sessão, a da posse, já tinha ficado definida.

Ainda assim, Telmo Correia, do CDS-PP, diz esperar que a próxima conferência de líderes possa corrigir a situação do lugar do Chega, não por divergências particulares, mas por uma questão de logística.

"A única coisa que o CDS disse na conferência de líderes anterior foi que, por uma questão de funcionamento do grupo e até de recato do grupo, dos deputados do grupo poderem falar entre si, nós somos o único grupo que temos um deputado que não é do grupo dentro do nosso espaço. Não acontece com mais nenhum", disse o deputado centrista.

Segundo o deputado do CDS-PP, "não é uma questão política, é uma questão prática", lembrando que "naqueles lugares, para um deputado entrar pelo lado de fora, tem de pedir ao deputado que está sentado para sair".

"Por experiência própria, porque aqueles lugares já eram nossos na legislatura anterior, o acesso à segunda fila é um acesso muito estreito, tem uma passagem muito difícil. Não se trata de nós estarmos incomodados com ninguém, nem a questão sequer é uma questão política", assegurou.

Assim, segundo Telmo Correia, "para os deputados do CDS chegarem aos seus lugares vão ter que pedir a um deputado de outro partido que saia do seu lugar para os deixar passar".

é um bocadinho desagradável termos de estar permanentemente a pedir a um outro deputado de um outro partido que não é o nosso para, passo a expressão, se chegar para lá - não é nenhum trocadilho - até porque o deputado pode cansar-se e dizer ‘olhe, basta, chega’", disse.

Esta situação, na perspetiva do deputado do CDS-PP, seria desagradável para os centristas e para o deputado desse partido, "fosse qual fosse o partido", não havendo "aqui nenhuma leitura política nessa questão".

A futura conferência de líderes "poderá rever" esta questão uma vez que a distribuição decidida foi apenas para a primeira sessão plenária da XIV legislatura.

Ainda de acordo com o deputado centrista, a ideia de retirar um corrimão da bancada para facilitar entradas e saídas na segunda fila não foi uma ideia do CDS, mas uma proposta apresentada pelo Partido Ecologista "Os Verdes".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.