A+ / A-

Hospitais do grupo Lusíadas. Militares passam a pagar mais pelos cuidados de saúde

22 out, 2019 - 20:09 • Ana Rodrigues

O presidente da Associação Nacional de Sargentos, Lima Coelho, já reagiu ao estabelecimento desta nova tabela, considerando-a "altamente penalizadora" para os militares.

A+ / A-

Uma tabela aprovada esta terça-feira entre o Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA) e o grupo Lusíadas espelha um aumento significativo no preço das consultas , exames, tratamentos e internamentos que os miliatres terão de pagar pelos cuidados de saúde.

A Renascença apurou que uma consulta que até ontem custava aos militares 3,99 euros passa a custar 26 euros. Outro exemplo: uma ressonância magnética ao crânio que custava 50 euros passa a custar 170.

A nova tabela aprovada pelo IASFA e grupo Lusíadas surge depois do fim de o acordo com a assitência aos militares devido ao arrastar de uma dívida de mais de sete milhões de euros.

O presidente da Associação Nacional de Sargentos, Lima Coelho, já reagiu ao estabelecimento desta nova tabela, considerando-a "altamente penalizadora" para os militares.

Lima Coelho argumenta que os aumentos se revestem de particular gravidade tendo em conta os baixos salários auferidos e a obrigação que os militares têm de garantir a sua boa condição fisica e mental.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.