|
A+ / A-

Raúl Alarcón reclama inocência da acusação de doping

22 out, 2019 - 10:35 • Redação

O ciclista da W52-FC Porto garante ter em seu poder pareceres clínicos que comprovam a sua inocência. Alarcón foi suspenso preventivamente pela UCI (União Ciclista Internacional).

A+ / A-

Raúl Alarcón tem provas de que não violou as normas de antidopagem e diz estar inocente da acusação movida pela UCI (União Ciclista Internacional). Numa publicação no Facebook, o ciclista espanhol, duas vezes vencedor da Volta a Portugal, garante ter "pareceres médicos absolutamente concludentes, no sentido de que não existiu qualquer violação das normas de antidopagem".

O ciclista confirma que foi notificado pela UCI da suspensão preventiva e assegura que vai demonstrar que se trata de um equívoco. "Vou demonstrar, com todas as minhas foças, que sou inocente e que não cometi nenhuma infração", escreve o ciclista da W52-FC Porto.

Alarcón venceu a Volta a Portugal em 2017 e 2018. Não esteve presente na edição de 2019, ganha por João Rodrigues, devido a problemas físicos provocados por uma queda no GP Abimota, em junho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.