|
A+ / A-

PSD. Conselho Nacional para marcar eleições diretas é a 8 de novembro

21 out, 2019 - 19:47 • Lusa

Órgão máximo do partido entre congressos vai reunir-se num hotel em Bragança. Será ainda agendado o congresso que irá confirmar o novo líder.

A+ / A-

O Conselho Nacional do PSD vai reunir-se a 8 de novembro num hotel em Bragança, confirmou esta segunda-feira à Lusa o secretário-geral do partido, José Silvano.

Na quarta-feira, no final da reunião da Comissão Política Nacional (CPN) do PSD, José Silvano já tinha adiantado que o órgão máximo do partido entre congressos iria reunir-se na última semana de outubro ou no início de novembro, com vista à marcação das eleições diretas e do Congresso.

Uma vez que a 1 de novembro se assinala o feriado de Todos os Santos, numa sexta-feira, originando um fim de semana prolongado, a direção entendeu marcar o Conselho Nacional para a sexta-feira seguinte, dia 8, num hotel em Bragança.

Numa publicação na rede social Twitter, na quinta-feira, o presidente do PSD, Rui Rio, justificou a escolha do local da reunião: "Nas recentes eleições, o melhor resultado do PSD foi no distrito de Bragança. Seria justo realizar lá o nosso Congresso. Como não há instalações para acolher uma reunião de tal dimensão, o mínimo que podemos fazer é realizar em Bragança o próximo Conselho Nacional".

Rui Rio anunciou esta segunda-feira que é recandidato ao cargo de líder do PSD, duas semanas depois de, na noite eleitoral de 6 de outubro, ter dito que ia avaliar com "calma e ponderação" o seu futuro político.

O presidente do PSD é o terceiro candidato assumido à liderança do partido, depois de, em 9 de outubro, três dias depois das eleições, o antigo líder parlamentar Luís Montenegro ter anunciado a sua candidatura nas próximas diretas, e, na passada sexta-feira, o antigo líder da distrital de Lisboa Miguel Pinto Luz também ter avançado para esta disputa.

Uma vez que o próximo Conselho Nacional do PSD se irá realizar já na próxima legislatura, já não terão assento na reunião de Bragança - nem sequer como observadores - deputados que têm sido críticos de Rio, casos de Hugo Soares, Miguel Morgado, Maria Luís Albuquerque, Carlos Abreu Amorim, Teresa Morais ou Paula Teixeira da Cruz.

Nas legislativas de 6 de outubro, o PSD obteve 27,7% dos votos (correspondentes a 79 deputados), contra 36,3% do PS (108 deputados).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.