A+ / A-

Utentes descrevem “caos” nos transportes públicos na Área Metropolitana do Porto

21 out, 2019 - 21:05 • Isabel Pacheco

Quem opta pelo autocarro ou pelo metro queixa-se da “pouca oferta para a muita procura”.

A+ / A-

“Realmente isto tem sido um caos autêntico com muita gente nos autocarros, muita gente no metro e não há a capacidade dos transportes para tanta gente”, queixa-se Jéssica, que contou esta segunda-feira à Renascença que há manhãs em que só “à terceira” consegue lugar na carruagem do metro no Porto.

Antónia Peixoto é passageira frequente do autocarro em Vila Nova de Gaia. Conta que nunca ficou apeada, mas, já viu “quem ficasse nas paragens porque os transportes iam cheios”.

O cenário repete-se, sobretudo, em horas de ponta. “A situação do metro é caótica, principalmente, no período da manhã”, sublinha a utente, que associa a “baixa de preço dos passes” à sobrelotação dos serviços. “As pessoas passaram a andar mais de transportes públicos e a deixar os carros em casa, mas a oferta não aumentou”, constata.

Constrangimentos no serviço público de transporte que se agravaram desde a redução do preço dos passes mensais, que trouxe mais utentes e, com isso, mais dificuldades para quem opta no dia-a-dia pelo autocarro ou pelo metro para chegar a casa ou ao trabalho.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.