|
A+ / A-

Lisboa

Concessão por 50 anos. Hotel de luxo no Quartel da Graça deverá abrir no final de 2022

18 out, 2019 - 18:30 • Agência Lusa

Classificado como Monumento Nacional desde 1910, instalação do hotel está orçada em 30 milhões de euros.

A+ / A-

A concessão do Quartel da Graça, em Lisboa, vai ser entregue ao grupo Sana, no âmbito do programa Revive, estando previsto um investimento de 30 milhões de euros, para a instalação de um hotel, foi anunciado esta sexta-feira.

Classificado como Monumento Nacional desde 1910, o imóvel será concessionado por um período de 50 anos para a instalação de um hotel de 5 estrelas, correspondendo a uma renda anual de 1,79 milhões de euros, segundo explicam, em comunicado, os ministérios da Economia e da Cultura.

A tutela refere que o investimento estimado para a instalação do hotel, que contará com 120 quartos, é de 30 milhões de euros, estando a abertura prevista para o final de 2022.

A concessão não inclui a área da igreja nem o respetivo jardim, estando igualmente fora do âmbito do concurso o Jardim da Cerca da Graça.

O concurso estabelece que o concessionário ficará responsável por construir os espaços que vão acolher as capelas mortuárias de apoio à igreja.

Com a conclusão do processo de concessão do Quartel da Graça passam a ser 10 os imóveis adjudicados ao abrigo do programa Revive, representando um investimento de 100 milhões de euros.

Citado no comunicado, o ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, sublinha que a “adjudicação do concurso relativo ao Quartel da Graça demonstra que o programa Revive torna possível dar novo uso ao património público”.

“Este imóvel será um fator de geração de riqueza e de criação de emprego na cidade de Lisboa”, sublinhou o governante.

Por seu turno, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, destacou o facto de o Quartel da Graça ser “um dos mais importantes edifícios associados à muralha fernandina”.

“Mais uma vez destacamos a aliança entre a recuperação do património e a necessidade de dinamizarmos investimento para imóveis que devem, no futuro, desafiar-nos para garantirmos maior diversidade na oferta de espaços de criação cultural”, apontou.

O Quartel da Graça foi fundado, enquanto Convento da Graça, no século XIII, pela Ordem dos Agostinhos Eremitas, tendo sido reedificado no século XVI e restaurado após o terramoto de 1755.

Com a extinção das ordens religiosas, em 1834, foi ocupado pelo exército, passando aí a designar-se como Quartel da Graça. A igreja, a sacristia e a casa do capítulo foram entregues à Irmandade do Senhor dos Passos.

Nos últimos anos, o quartel acolheu serviços da GNR e do Exército.

No âmbito do programa Revive foram lançados, até ao momento, concursos relativos a 19 imóveis.

Atualmente, estão abertos os concursos para a concessão do Mosteiro de Lorvão, no concelho de Penacova (Coimbra), do Forte da Ínsua, em Caminha (Viana do Castelo), do Mosteiro de São Salvador de Travanca, em Amarante (Porto) e do Paço Real de Caxias, em Oeiras (Lisboa).


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.