Tempo
|
A+ / A-

Novo acordo do Brexit. Irlanda do Norte rejeita, trabalhistas querem referendo

17 out, 2019 - 11:59

O Partido Democrático Unionista da Irlanda do Norte diz que há muitos pontos pouco claros. "Tal como estão as coisas não podemos aceitar."

A+ / A-

O Partido Democrático Unionista da Irlanda do Norte (DUP), aliado dos conservadores no parlamento britânico, reafirma hoje a sua oposição ao novo acordo do Brexit, negociado entre Londres e Bruxelas.

Fonte interna do DUP citada pela agência France-Presse disse, após o anúncio de um acordo pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e pelo presidente da comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que o comunicado emitido hoje de manhã “continua a refletir a posição” do partido.

O governo de Boris Johnson, que não tem maioria parlamentar, necessita do apoio do DUP para que o acordo seja aprovado no parlamento britânico.

O comunicado, assinado pela líder do DUP, Arlene Foster, e pelo seu “número dois”, Nigel Dodds, afirma que, “tal como estão as coisas”, o partido não pode aceitar o pacto que Londres está a negociar com a União Europeia.

“Participámos nas conversações com o governo. Tal como estão as coisas não podemos aceitar o que está a ser sugerido sobre questões aduaneiras e outros assuntos relacionados, até porque a questão da aplicação do IVA não é clara”, refere a nota do Partido Unionista.

Fonte de Downing Street citada pela imprensa britânica afirmou entretanto que o acordo alcançado “é um bom acordo para a Irlanda do Norte”.

Após intensas negociações, a UE e o Reino Unido anunciaram hoje ter alcançado um acordo para a saída do país do bloco comunitário.

O Partido Trabalhista já manifestou oposição ao acordo anunciado esta quinta-feira, defendendo que deve ser sujeito a um referendo.

Por sua vez, a líder do Partido Nacional Escocês, Nicola Sturgeon, já disse que não votará favoravelmente o acordo.

Para sábado, foi já agendada um sessão extraordinária do parlamento britânico, na qual Boris Johnson vai tentar obter a aprovação do texto acordado esta quinta-feira em Bruxelas.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.