|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Catalunha

Polícia disparou balas de borracha e manifestantes desconvocaram protesto

14 out, 2019 - 23:55

Autoridades carregaram sobre os milhares de manifestantes que estavam no aeroporto catalão de El Prat, 78 pessoas ficaram feridas durante os tumultos. Protesto provocou cancelamento de uma centena de voos.

A+ / A-

Quase todos as pessoas que estavam no aeroporto catalão de El Prat a protestar pela condenação dos dirigentes independentistas catalães dispersaram esta segunda-feira à noite depois de o movimento "Tsunami Democrático" ter desconvocado a manifestação.

O protesto foi desconvocado cerca das 22h00 de Barcelona (23h00 em Lisboa), pouco depois de a polícia nacional espanhola e as autoridades catalãs (Mossos d'Esquadra) terem carregado sobre os manifestantes no estacionamento do principal terminal do aeroporto.

A polícia disparou balas de borracha e usou cassetetes contra os milhares de manifestantes que estavam no aeroporto e os manifestantes reagiram atirando objetos, disparando extintores de incêndio e partindo janelas. A polícia ainda lançou ameaças de novas intervenções antes de conseguir afastar a maioria dos manifestantes, tendo o movimento 'Tsunami Democrático' divulgado, entretanto, uma mensagem nas redes sociais a cancelar o protesto.

Ainda assim, o movimento avisou que convocará novas manifestações na terça-feira.

Pouco depois, o serviço de metropolitano interno do aeroporto voltou a funcionar, possibilitando a deslocação dos passageiros, enquanto veículos particulares e transportes públicos passaram a ter acesso por estrada. Segundo a gestora aeroportuária Aena, o protesto provocou o cancelamento de 108 dos 1.066 voos previstos para hoje.

O Serviço de Emergências Médicas avançou ter atendido, ao longo do dia, um total de 78 pessoas, três durante os protestos da manhã e 75 no terminal 1 do El Prat, das quais 38 ainda estavam, cerca das 23h30, em observação.

O Tribunal Supremo espanhol condenou hoje em Madrid os principais dirigentes políticos envolvidos na tentativa de independência da Catalunha a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão, no caso do ex-vice-presidente do governo catalão. Assim que foi conhecida a sentença, uma série de grupos de independentistas iniciaram movimentos de protesto em todo o território da comunidade autónoma espanhola mais rica.

A polícia antidistúrbios carregou sobre um grupo que protestava no exterior do aeroporto de Barcelona enquanto outros grupos separatistas incendiaram pneus para impedir a circulação de comboios e alguns bloquearam a circulação rodoviária em estradas da região.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.