A+ / A-

​Rui Rio questiona suspensão de programa da RTP “antes das eleições”

13 out, 2019 - 18:27 • Redação

Numa mensagem publicada na rede social Twitter, Rui Rio deixa críticas implícitas à estação pública de televisão.

A+ / A-

O líder do PSD, Rui Rio, pergunta porque é que um programa de investigação jornalística da RTP foi suspenso durante as recentes eleições legislativas.

Numa mensagem publicada na rede social Twitter, Rui Rio deixa críticas implícitas à estação pública de televisão.

“Porque será que o Sexta às 9 foi suspenso antes das eleições, particularmente este programa que só pode ser emitido ontem? Pode haver mil razões, mas perante a gravidade do que aqui está...”, escreveu o líder do PSD, que perdeu as eleições da semana passada para o PS.

O programa Sexta às 9, coordenado pela jornalista Sandra Felgueiras, regressou esta semana à RTP depois de um tempo de paragem.

Em destaque esteve uma investigação por suspeitas de crime económico no processo de entrega ao Estado da concessão de exploração de lítio em Portalegre, que envolve Jorge Costa Oliveira, ex-secretário de Estado da Internacionalização, e Pedro Siza Vieira, ministro Adjunto e da Economia, e uma empresa criada três dias antes do negócio.

O secretário de Estado da Energia, João Galamba, reagiu à reportagem no Facebook, acusando o programa Sexta às 9 de “desinformação”.

Na resposta, a jornalista Sandra Felgueiras acusou o governante de viver em “total alheamento”. “Caro João Galamba, nenhum político nem servidor público está acima do escrutínio. A sua resposta é o reflexo pleno do total alheamento dos factos que pretende fazer desde o início. Atacar a solidez das nossas dúvidas é atacar neste momento o Ministério Público que abriu um inquérito-crime”, escreveu a jornalista.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.