|
A+ / A-

Piloto morre em prova de enduro no Marco de Canaveses

13 out, 2019 - 18:01

Vítima tinha 42 anos. Piloto foi assistido pelos bombeiros e pelo INEM, mas o óbito acabou por ser declarado no local.

A+ / A-

Um piloto morreu este domingo numa prova do campeonato nacional de enduro realizada no Marco de Canaveses.

A vítima é Filipe Nunes, de 42 anos, sentiu-se mal, parou a mota e caiu inanimado, avança a edição online do "Jornal de Notícias".

Foi assistido pelos bombeiros e pelo INEM, mas o óbito acabou por ser declarado no local.

A direção do Motor Clube do Marco já lamentou "o falecimento de um piloto no decorrer da prova 8º Enduro Marco - Rios de Emoção, na tarde deste domingo".

"Logo que foi tomado conhecimento da gravidade da situação, o Júri de Prova decidiu parar de imediato a corrida. Fruto desta situação, as cerimónias de pódio foram suspensas", refere a organização, em comunicado.

"À Família do piloto, o Motor Clube do Marco expressa as mais sentidas condolências", conclui o Motor Clube do Marco.

A Federação de Motociclismo de Portugal (FMP) apresenta, em comunicado, as "mais sentidas condolências" aos familiares do piloto falecido na prova deste domingo.

"Em consequência do falecimento de um piloto no decorrer da derradeira prova do Nacional de Enduro, que se realizou este fim‑de‑semana em Marco de Canavezes, a direcção do Motor Clube do Marco, organizador do evento, e o Júri de Prova decidiram parar de imediato a corrida, sendo igualmente canceladas as cerimónias de pódio", refere a FMP.

"O piloto terá sido vitima de doença súbita e apesar de todos os esforços feitos pelo clube organizador da prova no rápido e eficaz socorro ao participante neste enduro o mesmo veio a falecer no local", sublinha a federação.

[notícia atualizada às 21h50]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.