A+ / A-

Sindicato adiantou dinheiro aos jogadores da AD Oliveirense com salários em atraso desde junho

12 out, 2019 - 16:59 • José Bastos , com redação

Plantel avançou com um pré-aviso de greve para o jogo com o Santa Clara, para a Taça de Portugal.
A+ / A-
Entrevista a Joaquim Evangelista
Entrevista a Joaquim Evangelista

O presidente do Sindicato dos Jogadores, Joaquim Evangelista adiantou este sábado 350 euros aos jogadores estrangeiros da Associação Desportiva Oliveirense, clube com salários em atraso no Campeonato de Portugal. O plantel avançou com um pré-aviso de greve.

Alguns jogadores passam por situações dramáticas, em particular por falta de alimentação, o que leva a falharem treinos por não terem feito as refeições, já que desde junho não recebem qualquer vencimento.

Em declarações à Renascença, Joaquim Evangelista prometeu ajudar jogadores no limiar da sobrevivência.

“Acabei agora a reunião com os jogadores. Foi uma reunião tensa, dramática, temos 11 jogadores a quem nós adiantámos 350 euros para fazerem face às despesas urgentes. São jogadores estrangeiros e estão a viver esta situação desde o início da época. Os jogadores estão sem receber, o administrador é estrangeiro, não está em Portugal. Não cumpriu os assumidos e os jogadores estão com receio que a situação se agrave.”

A SAD da Oliveirense, de Famalicão, é detida por um investidor argentino e vai jogar com o Santa Clara para a Taça de Portugal, no próximo domingo.

Se até sexta-feira a administração não regularizar a situação, os jogadores não vão a jogo, refere Joaquim Evangelista.

Os mais vulneráveis desta crise têm sido os atletas estrangeiros que, sem retaguarda familiar, têm vivido da solidariedade de pessoas da região, que vão suprindo algumas premências alimentares dos atletas.

O presidente do Sindicato dos Jogadores alerta que “esta situação começa a ser recorrente no futebol português: investidores que aparentemente vêm para resolver problemas agravam os problemas dos jogadores, dos clubes e dão uma má imagem do futebol português”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.