A+ / A-

​Nuno Melo está fora da corrida a líder do CDS

11 out, 2019 - 20:37 • Lusa

Eurodeputado sugere que deve ser um dos cinco deputados eleitos a avançar em congresso.
A+ / A-

O eurodeputado Nuno Melo excluiu-se da corrida à sucessão de Assunção Cristas na liderança do CDS e sugeriu que deve ser um dos cinco deputados eleitos a avançar em congresso.

Em declarações à agência Lusa, Nuno Melo afirmou que, na "atual conjuntura difícil" do partido, saída das legislativas, o futuro líder terá de poder "enfrentar o primeiro-ministro" nos debates quinzenais e "medir talentos" no parlamento, que agora tem deputados de dois partidos próximos "da área" do CDS, Iniciativa Liberal e Chega.

O vice-presidente e eurodeputado não toma posição sobre os candidatos já "em reflexão", incluindo o deputado João Almeida, embora admitindo que haverá, fora do parlamento, potenciais candidatos com muito peso e "capacidade política" para liderar os centristas.

Nuno Melo diz ser o caso de Nuno Magalhães, Lobo Xavier, Adolfo Mesquita Nunes, Diogo Feio e Filipe Lobo D'Ávila.

O "atual momento, muito singular" na vida do partido, que nas legislativas de domingo se viu reduzido de 18 para cinco deputados, com 4,25% dos votos, não é comparável com a situação de 1991, quando o CDS era o único do espaço do centro-direita na Assembleia da República.

Agora, o caminho deverá passar por "chamar jovens e grupos de pessoas" de outras correntes e com outras experiências para conseguir "um ressurgimento" do partido.

E dramatizou: "Nesta fase, o objetivo não é só levantar, é também a sobrevivência do partido."

À Lusa, Nuno Melo defendeu uma reflexão aprofundada sobre o que correu mal com o partido nas legislativas, sugerindo até "uma espécie de estados gerais" do CDS e da direita.

Um encontro onde estivessem sectores da sociedade até agora mais afastados do partido, das áreas empresariais ou culturais, exemplificou.

NS // ACL

Lusa/fim

À Lusa, Nuno Melo defendeu uma reflexão aprofundada sobre o que correu mal com o partido nas legislativas, sugerindo até "uma espécie de estados gerais" do CDS e da direita.

Um encontro onde estivessem sectores da sociedade até agora mais afastados do partido, das áreas empresariais ou culturais, exemplificou.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.