A+ / A-

Imagem de Nossa Senhora descoberta há 100 anos peregrina por Fátima

09 out, 2019 - 08:00 • Teresa Paula Costa

A imagem de Nossa Senhora dos Prazeres, que, juntamente com Santo António, é padroeira da paróquia de Fátima, começou a percorrer as comunidades da paróquia, em peregrinação, na terça- feira.
A+ / A-

De autor desconhecido, mas seguramente datada do século XVI, a imagem foi descoberta por acaso, há cem anos, emparedada numa das paredes principais da Igreja paroquial de Fátima. Reza a história que, no século XIX, para protegerem a imagem das invasões francesas, alguns paroquianos emparedaram-na na parede onde se encontrava o altar.

A ação ficou em segredo e acabou por cair no esquecimento. Em 1919, ao derrubar-se a parede numa obras que visavam aumentar o espaço da igreja, os pedreiros depararam-se com a imagem. O acontecimento foi celebrado com foguetes e a imagem voltou a ser venerada pelos paroquianos.

A comemorar o centenário da descoberta, a paróquia anuncia que “a imagem peregrinará pelas comunidades da paróquia durante o mês de outubro, Mês Missionário e do Rosário”. Tal acontecerá, salienta o pároco de Fátima, padre Rui Marto, “para que todos os paroquianos possam receber a visita da sua Padroeira”.

A volta teve início esta terça feira, 8 de outubro, no lugar de Giesteira, seguindo-se: Boleiros, esta quarta-feira, Maxieira, no dia 15, Ortiga, no dia 16, Montelo, no dia 22, Lombo d’Égua, no dia 23 e Moita Redonda, no dia 29 de outubro. A Imagem será acolhida e permanecerá em cada comunidade entre as 21h00 e as 22h30.

Após o regresso da imagem de Nossa Senhora dos Prazeres à Matriz, a 30 de outubro, a noite será reservada para uma Cantata a Nossa Senhora, com início às 21h00, com a participação dos grupos corais da paróquia. Do programa consta a recitação do rosário e a recriação da história da imagem da Padroeira.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.