A+ / A-
Mirandela

Pesca proibida no rio Tua devido a descargas poluentes

09 out, 2019 - 12:33 • Olímpia Mairos

A interdição mantém-se por tempo indeterminado. A poluição tem origem em descargas feitas a partir do Açude de Eixes no rio Rabaçal, afluente do Tua.

A+ / A-

Está proibida a pesca no rio Tua em Mirandela, em resultado da poluição provocada por descargas de efluentes perigosos.

As descargas, que são bem visíveis, são feitas a partir do Açude de Eixes no rio Rabaçal, afluente do Tua, para jusante, desde o passado dia 22 de Setembro. Já morreram centenas de peixes, recolhidos pelo serviço municipal de Proteção Civil de Mirandela.

Nos últimos dias foi visível a deslocação de uma mancha negra ao longo do rio, apareceram alguns peixes mortos, bem como foi sentido um forte odor, tendo os técnicos do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas “desaconselhado o consumo humano de peixes provenientes desta zona do rio, até regularização da situação”, segundo indica o presidente do Clube de Caça e Pesca de Mirandela.

O organismo, que tem a concessão de pesca naquele troco do Tua, emitiu, por isso, esta terça-feira, um edital a proibir a pesca desportiva na sua área de concessão.

“Temos três pontos de concessão de cedências de pesca e dei ordens para não facultarem nenhuma licença até ordem em contrário, sem data limite de fim, até que as entidades competentes nos comuniquem que não há problema para a saúde pública”, afirma o presidente do Clube de Caça e Pesca de Mirandela, João Ribeiro.

“E recomendamos a toda a população que não consuma o peixe do rio, porque não sabemos qual a substância que está a provocar a morte dos peixes”, acrescenta João Ribeiro.

O serviço de comunicação da Câmara Municipal de Mirandela emitiu, entretanto, uma nota de imprensa sobre este assunto, onde refere que, desde o dia 22 de Setembro, tem acompanhado “exaustivamente a situação que se verificou no Rio Rabaçal, junto ao açude de Eixes, onde se encontraram peixes mortos e uma nata que cobria a superfície da água”.

A autarquia informa ainda que “após terem sido recolhidos o maior número possível de peixes mortos e de ter sido retirada a máxima de nata possível junto ao açude de Eixes, verifica-se ainda a deslocação de uma mancha negra ao longo do rio que encontra como barreira o Açude Ponte de Mirandela. Acompanham essa mancha negra alguns peixes mortos e um forte odor”.

Dadas estas circunstâncias, acrescenta a nota de imprensa, “o município de Mirandela, em conjunto com outras entidades, continua a gerir esta situação, fazendo a remoção dos peixes e a efetuar descargas pontuais no Açude Ponte de Mirandela, contando com o apoio de técnicos de outras entidades, especializados nesta matéria”.

“Existindo a possibilidade de crime ambiental, o caso encontra-se entregue às autoridades competentes para o devido efeito”, lê-se também na nota de imprensa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.