A+ / A-
"Novo Pacto Verde Global"

Medina e outros 93 autarcas mundiais defendem pacto verde face a emergência climática

09 out, 2019 - 15:55

Autarquias, incluindo a de Lisboa, comprometem-se a reduzir as emissões de gases de efeito de estufa nos setores "que mais contribuem para a crise climática", nomeadamente os transportes, a indústria, os edifícios e os resíduos.
A+ / A-

Presidentes de câmara de 94 cidades mundiais, incluindo Lisboa, defenderam esta quarta-feira a celebração de um "Novo Pacto Verde Global" para fazer face à "atual emergência climática".

A aliança de autarquias conhecida como C40, na qual se inclui a capital portuguesa, passou a partir de hoje a ser presidida pelo presidente da Câmara da cidade norte-americana de Los Angeles, Eric Garcetti, eleito na cimeira da organização, em Copenhaga, em que também participaram ativistas, sindicatos, empresas e outros movimentos da sociedade civil.

"Reconhecemos a emergência climática global", declararam os autarcas, comprometendo-se a reduzir as emissões de gases de efeito de estufa "nos setores que mais contribuem para a crise climática: transportes, indústria, edifícios e resíduos".

Comprometem-se a "proteger o trabalho, ajudar a acabar com a pobreza" e a assegurar "uma transição justa para os que trabalham nas indústrias mais poluidoras".

Os presidentes de câmara apontam que "este atraso na resposta climática já está a ter consequências devastadoras" e defendem que é preciso deixar os combustíveis fósseis.

Da sua parte, referem que "as cidades do C40 já estão a reduzir as emissões a um ritmo consistente com os limites determinados pela ciência como necessários, o que significa atingir o pico de emissões até 2020 e reduzir para metade até 2030".

Eric Garcetti aifirmou que “no que diz respeito a ação climática, ninguém está a fazer mais do que as cidades, mas ninguém está a fazer ainda o suficiente”.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Martins
    09 out, 2019 LX 17:38
    Medina (versão ECO): Vamos cortar o diesel em LX, reduzir a 2ª circular a uma avenida com 1 faixa de rodagem para EVs e 2 faixas para bicicletas, trotinetas, triciclos e segways. Medina (versão TURISMO): Os aviões para turistas podem multiplicar por dois e os ultra-poluidores navios de cruzeiro podem atracar sem qualquer limite...