A+ / A-
Francisco Assis

Governo PS-Bloco levaria a "uma paralisia nas reformas da Saúde e Educação"

09 out, 2019 - 16:08 • José Pedro Frazão com redação

No programa Casa Comum da Renascença, ex-eurodeputado do PS diz que "preferia que não fosse uma solução PS com BE", após socialistas falharem maioria absoluta nas legislativas.
A+ / A-

Francisco Assis opõe-se à possibilidade de o Partido Socialista (PS) formar Governo com o Bloco de Esquerda (BE), defendendo que tal traduzir-se-ia numa "paralisia nas reformas em setores como a Saúde e a Educação".

Na edição desta quarta-feira do programa "Casa Comum" da Renascença, o ex-eurodeputado socialista sublinhou que "preferia que não fosse uma solução PS com Bloco", após os socialistas terem vencido as eleições legislativas de domingo sem maioria absoluta.

No arranque da última legislatura, Assis foi uma das vozes dentro do PS a opor-se à formação da chamada "geringonça", entre socialistas, comunistas e bloquistas.

Sistema eleitoral "desgastado"

Ainda em reação aos resultados de domingo, em que a abstenção se situou nos 45,5%, Assis defende que é preciso refletir "rapidamente" para se alterar o sistema eleitoral e aproximar os cidadãos dos políticos.

"Este sistema eleitoral cumpriu durante muito tempo mas, neste momento, começa a revelar sinais de desgaste. Não está a garantir esta proximidade mínima que tem de existir entre eleitores e eleitos", ressalta. "Houve uma grande evolução tecnológica nos últimos anos, que tem tido manifestações em praticamente todas as áreas, e não faz sentido que não tenha manifestações neste âmbito.

Clique aqui para ouvir o programa na íntegra.


legislativas 2019 promosite
Últimaslegislativas 2019
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • J M
    11 out, 2019 Seixal 15:55
    Já era tempo deste senhor dar o salto para o PSD, ou está à espera de ser escorraçado do PS, para depois se transformar em vitima. Cada vez que abre a boca é para desdenhar o partido que o acolheu,.