Fernando Medina-João Taborda da Gama
O presidente da Câmara de Lisboa e um professor universitário (especialista em direito fiscal) a viver na capital olham para os principais temas da atualidade. Às terças e quintas, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Fernando Medina e João Taborda da Gama - Rescaldo das eleições - 08/10/2019
Fernando Medina e João Taborda da Gama - Rescaldo das eleições - 08/10/2019

F. Medina

Eleições revelam “apoio significativo” à "geringonça"

08 out, 2019 • Redação


Comentadores da Renascença fazem análise aos resultados eleitorais e perspetivam o que pode vir a seguir.

O socialista Fernando Medina considera que o resultado das eleições legislativas demonstra um “apoio significativo” à forma como foi garantida a estabilidade governativa durante a legislatura que agora termina.

“Os portugueses gostaram desta solução, a soma dos três partidos fundamentais que estiveram na base desta solução tiveram quase 53% do global dos votos”, destaca Medina.

Neste espaço de comentário da Renascença, Medina acrescenta que o que virá a seguir “depende do posicionamento que os partidos tiverem a partir das reuniões de amanhã”.

Já o professor universitário João Taborda da Gama tem uma leitura diferente. “O Bloco de Esquerda perdeu 50 mil votos com a gerigonça, o PCP continuou a perder votos e o PS ganhou votos”.

Taborda da Gama considera que estes resultados podem ser lidos de várias formas. Uma delas é que o “maestro da geringonça ficou beneficiado mas os outros dois partidos não ficaram beneficiados com a geringonça”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.