|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

PAN deixa de ser um partido de um deputado só e festeja: "Somos um partido feminista!"

07 out, 2019 - 02:13 • Maria João Costa

Partido animalista passa de um para quatro deputados após conquistar quinto lugar por Lisboa, Porto, Setúbal e Faro.

A+ / A-

Veja também:


Foram os últimos a discursar, já depois do vencedor da noite. Confirmados os resultados, o PAN gritou vitória, com André Silva a entrar na sede de campanha no Museu da Cidade de Lisboa a afirmar um categórico “conseguimos”, antes de celebrar o facto de o seu movimento se ter tornado no "único grupo parlamentar em que os homens estão em minoria".

O líder vai passar a ter a seu lado mais três deputados. Além de André Silva, foram também eleitos Inês Sousa Real por Lisboa, Bebiana Cunha pelo Porto e Cristina Rodrigues por Setúbal. Cada um dos nomes foi celebrado com aplausos e bandeiras a ondular no pátio onde foi instalada a sede desta noite eleitoral.

Entre árvores, com pavões à mistura, o PAN mostrou-se “disponível para discutir ideias para o país”. E aí André Silva foi claro: seja com PS ou PSD ou outros partidos. Fora do leque de possibilidades ficam o Chega e o CDS, partidos “extremistas e perigosos” nas palavras do líder do PAN

Aqui todos os votos contam

A noite foi esticando. “Está tudo dependente do Barreiro”, ouvia-se na sede do PAN enquanto se aguardava para saber se seria ou não eleito um quarto deputado.

À medida que a noite foi caindo, o pátio do Palácio Pimenta foi-se enchendo de apoiantes do PAN. A noite foi ficando fria mas a expectativa foi aquecendo.

André Silva chegou pouco depois das 22h, a pé e sozinho. À entrada, confirmava que ainda não tinha sido contactado por outros partidos, mas mostrava-se feliz face à possibilidade de conseguir formar um grupo parlamentar.

Foi também com palmas que foi recebida a confirmação da eleição de um segundo deputado, neste caso, uma deputada Bebiana Cunha pelo círculo do Porto. O facto foi celebrado também por ser “a primeira mulher” do PAN no Parlamento, referiu Inês Sousa Real. Seria o mote para André Silva festejar: "Quadruplicámos o número de mandatos. Somos o único grupo parlamentar em que os homens estão em minoria." (Na verdade, o CDS também conta com mais mulheres que homens.) E gritou: "Somos um partido feminista!"

Horas antes, numa primeira reação, foi precisamente a número dois do PAN por Lisboa que subiu ao palco. Inês Sousa Real reagiu aos dados da abstenção para afirmar que é preciso “procurar as razões da abstenção” e concluir pela necessidade de “aproximar as pessoas do acto eleitoral”.

A plateia de cerca de algumas dezenas de apoiantes do PAN levantaram-se quando foram conhecidas as primeira projeções. De bandeiras na mão e perante a hipótese de o PAN eleger mais deputados para a Assembleia da República, gritaram: “Este é o momento, mais deputados do PAN no Parlamento.”

Nesta que foi a segunda noite eleitoral para as legislativas do PAN, notou-se na organização alguma preocupação ambiental. Além da separação de lixo, no pátio havia “beateiros” para os fumadores deixarem as beatas e na zona onde havia alimentos e bebidas era pedido que se reutilizassem os copos de papel, havendo mesmo uma caneta para cada um escrever o seu nome no copo.

Últimaslegislativas 2019
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.