RR

João Duque. “Ai, vamos sofrer e vamos sofrer bem” se os juros subirem

03 out, 2019 - 00:46 • Eunice Lourenço (Renascença) e Helena Pereira (Público)

A SEDES, presidida por João Duque, alerta os partidos neste período de campanha eleitoral para as consequências “negativas” da continuação da política do BCE. “Estamos a cavar o buraco onde já estamos metidos”, diz, prevendo instabilidade na próxima legislatura. Em entrevista ao à Renascença e ao PÚBLICO , que pode ouvir hoje a partir das 13 horas, o presidente da SEDES critica ainda o actual Governo no que diz respeito às metas da neutralidade carbónica. O Governo foi “ambicioso” e “ingénuo” e, para ser “coerente”, deveria “tributar mais a gasolina”, defende.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Reportagem
Eu Eleitor hyper

Eu, eleitor

Retratos do país que vota

Que país é este que vai às urnas? Até às eleições legislativas, a Renascença apresenta retratos de 18 eleitores dos círculos eleitorais de Portugal continental, olhando as características e dificuldades de cada distrito.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.