|
A+ / A-

Frederico Varandas partilha "descontentamento genuíno" dos adeptos, mas ataca quem quer "o caos no Sporting"

28 set, 2019 - 23:16 • Redação

"Os sportinguistas não são burros, sabem distinguir o protesto genuíno do premeditado de pessoas que preferem o caos e dividir para reinar”, afirma o presidente do Sporting em entrevista à SIC.

A+ / A-

O presidente do Sporting, Frederico Varandas, admite, em entrevista à SIC, que está “triste” e partilha o “descontentamento genuíno” dos adeptos, mas ataca quem promove o “caos” e quer “dividir para reinar”.

Com a equipa de futebol numa crise profunda de resultados, Frederico Varandas garante que está triste e partilha o “descontentamento genuíno” dos sócios e adeptos, mas não de quem o faz de forma premeditada.

“Se há coisa que eu entendo muito bem é o descontentamento genuíno de quem vai a Alvalade, põe o Sporting acima de tudo, o Sporting perde e esse sócio está descontente e triste. Mas tem de perceber que os órgãos sociais eleitos, antes de serem órgãos sociais, são também sportinguistas. Eu estou triste, partilho essa tristeza genuína, esse descontentamento.”

Frederico Varandas afirma que “uma direção se não percebe isso ou não sente ou não percebe o clube” e garante que é o homem certo para dar a volta à situação. “Tenho mão, tenho, e tenho solução. Não é milagres. Isso não há. Existe mão, trabalho e solução", afiançou.

Nesta entrevista à SIC, o líder máximo leonino lança críticas ao que apelida de "descontentamento premeditado", para desestabilizar o clube.

“Paralelamente, existe um descontentamento que eu chamo premeditado, desejado, e esse descontentamento eu não subscrevo. Não sou eu, é o Sporting que tem de combater isso", apela.

Numa analogia com a maratona, Frederico Varandas diz que a equipa de futebol "tropeçou e caiu" no início da corrida, mas "levantou-se e temos 30 quilómetros para recuperar" e "vamos recuperar".

Jogadores sem "paz em Alvalade". Varandas ataca profetas do "caos"

Perante os pedidos de demissão e insultos no final do último jogo em Alvalade, o presidente do Sporting considera que há pessoas que querem "o caos" no clube e "dividir para reinar". A equipa de futebol acaba por apanhar por tabela.

“Acha que os jogadores têm paz quando jogam em Alvalade? Fizeram uma má época? Merecem não ter paz? Acham que não afeta? Afeta. Os sportinguistas não são burros, sabem distinguir o protesto genuíno do premeditado de pessoas que preferem o caos e dividir para reinar”, atirou.

Frederico Varandas considera que "o Sporting precisa de uma direção que ouça e respeite sempre a bancada, mas que não governe para a bancada”.

"Aquelas pessoas insultarem-me ou dizerem que sou o maior, vale zero, vale zero, vale zero. Porquê? Existem minorias do Sporting que preferem o caos para gerar a sua oportunidade. Outras preferem dividir para reinar. Isto é uma política de autodestruição. E são burros, porque quando estiverem lá perceberão que o clube está pior e vão beber do próprio veneno”, sublinha o líder leonino, garantindo que os "insultos não vão mudar nada no rumo" traçado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.