Tempo
|
A+ / A-

Jornadas da Comunicação

“Igreja deve usar redes para mostrar como os católicos são felizes”

27 set, 2019 - 13:35 • Teresa Paula Costa

Paulo Salgado acredita que o poder de atração da própria felicidade e o bom ambiente dentro de movimentos da Igreja vale mais do que qualquer campanha.

A+ / A-

A Igreja não deve utilizar as redes digitais para chegar aos jovens que estão afastados, mas para mostrar como a fé faz os católicos felizes.

A mudança de perspetiva é defendida por Paulo Salgado, docente da Universidade do Minho, que participou esta sexta-feira nas jornadas de comunicação organizadas pelo Secretariado Nacional das Comunicações Sociais e pela Rede Mundial de Oração pelo Papa.

Para o professor universitário, “se nós mostrarmos o que fazemos, mostrarmos o bom ambiente, o crescimento a nível pessoal, o que significa fazer parte e que nos leva a fazer e a criar; se eu tiver amigos que estão a fazer parte disso e que aparecem nessas fotografias e os vejo felizes, eu era capaz de pensar que talvez queira fazer parte disso.”

Para Paulo Salgado a estratégia muitas vezes seguida pelos católicos nas redes está errada. “Às vezes queremos procurar os que ainda não fazem parte, sem mostrar aquilo que significa fazer parte”.

“Mostrar a esses jovens o que significa fazer parte, passa também por nutrir os relacionamentos que temos dentro do grupo, porque essa energia e essa emoção é que são contagiantes e o melhor que temos para oferecer a quem não faz parte é dizer-lhes que temos algo aqui de que se calhar iriam gostar.”

Subordinadas ao tema: “O poder da imagem”, as jornadas terminam esta tarde com a realização de vários workshops.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+