|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

PAN acha que Tancos está a desviar a atenção daquilo que é essencial

27 set, 2019 - 11:59 • Lusa

André Silva diz que o processo "mancha o sistema democrático e mancha a classe política", mas, ainda assim, "não deve entrar na campanha".

A+ / A-

O caso de Tancos está "a desviar a atenção daquilo que é essencial" na campanha, criticou hoje o porta-voz do PAN, André Silva, voltando a frisar que este processo "não deve contaminar" o período eleitoral.

"Este caso está a desviar a atenção daquilo que é essencial, que é todos podermos fazer uma campanha a informar as pessoas das nossas propostas", afirmou André Silva, que respondia a perguntas dos jornalistas à margem de uma visita, no âmbito da campanha do PAN, à associação de intervenção comunitária CRESCER, na Quinta do Cabrinha, em Lisboa.

O cabeça de lista por Lisboa voltou a afirmar que o processo, em que foi acusado o ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes, "não deve entrar na campanha" e "não deve contaminar a campanha".

"Parece-me que este tema está, no fundo, a arredar destes dias aquilo que é essencial, que é o debate político sobre as propostas que cada um tem para os próximos quatro anos", vincou, referindo que isso é "o mais importante", neste momento, para o PAN.

Apesar disso e após insistência dos jornalistas, André Silva disse que o processo "mancha o sistema democrático e mancha a classe política, na medida em que, reiterada e consecutivamente, há situações de opacidade, situações em que diversos governantes estão eventualmente, supostamente, alegadamente envolvidos em matéria de corrupção", matéria essa que o PAN considera uma "prioridade e uma linha vermelha para a próxima legislatura".

"A pessoa em causa está acusada, não há um processo que chegou ao fim e nós vamos aguardar para que as entidades judiciais façam o seu trabalho. Neste momento, não nos merece mais qualquer comentário, na medida em que o PAN estará focado a passar a informação do seu programa, para esclarecer cada vez mais portugueses", acrescentou.

O Ministério Público (MP) acusou 23 pessoas, entre elas o ex-ministro da Defesa, José Azeredo Lopes, no caso do furto e da recuperação das armas de Tancos.

Azeredo Lopes está acusado de prevaricação, abuso de poder, denegação de justiça e favorecimento de funcionário, crimes que o MP classificou como "muito graves".

Últimaslegislativas 2019
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.