|
A+ / A-
Caso Tancos

Autarca socialista diz que Rui Rio "deitou fora a água do banho de ética com o bebé lá dentro"

27 set, 2019 - 22:58 • Susana Madureira Martins , com redação

Num comício de campanha eleitoral, o presidente da Câmara de Caminha lançou duras críticas às insinuações feitas pelo líder do PSD que é "pouco crível" que António Costa não soubesse do encobrimento do caso de Tancos.

A+ / A-

O PS dramatiza o caso Tancos. O presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, um homem muito próximo do secretário-geral do PS e primeiro-ministro acusa Rui Rio de um ataque sem precedente ao caráter de António Costa.

Miguel Alves falava esta sexta-feira à noite, em Viana do Castelo, num comício ao ar livre na Praça da República, onde criticou as diferentes posições do líder do PSD ao longo da semana.

“O presidente do PSD aproveitou uma oportunidade que agarrou com todas mãos, porque podia subir um ou dois pontos percentuais para, a propósito de uma acusação onde não consta o nome de António Costa, acusar, atacar o caráter e a honestidade do nosso camarada António Costa. Isso não é certo nem é correto”, acusa o autarca minhoto.

Miguel Alves concluiu que pouco ficou do banho de ética defendido por Rui Rio e utilizou a metáfora da água do banho deitada fora com o bebé lá dentro.

“Em dois dias, entre banho ético e bebé, o que Rui Rio fez, um homem que tinha a confiança e até a expetativa de milhares de portugueses, Rui Rio deitou o banho fora com o bebé lá dentro. Não volta essa água a esse rio. Foi o banho, foi o bebé e foi também o ataque de caráter a António Costa, que desmascarou aquela que era uma personalidade que se julgava fora da política. O PS não aceita essa situação”, declarou o presidente da Câmara de Caminha.

No comício desta sexta-feira, num discurso inflamado, Miguel Alves deixou um alerta: “fiem-se nas sondagens e não corram. Isto é para ganhar”, declarou. Mais do que uma maioria absoluta, o mais importante é ganhar as eleições legislativas de 6 de outubro, sublinhou.

Últimaslegislativas 2019
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.