Tempo
|
A+ / A-

Cimeira do Clima. Marcelo diz aos líderes mundiais que não podem falhar, porque “não há Portugal nem Planeta B”

23 set, 2019 - 19:12 • Redação

No encontro organizado pelas Nações Unidas, em Nova Iorque, p Presidente da República deu o exemplo dos compromissos assumidos por Portugal para atingir a neutralidade de emissões de dióxido de carbono até 2050.

A+ / A-

Os líderes mundiais que não podem falhar no combate às alterações climáticas porque “não há Portugal B, nem Planeta B”, afirmou esta segunda-feira o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na Cimeira da Ação Climática da ONU, que decorre em Nova Iorque.

“Depende de nós, líderes políticos, estabelecer o exemplo. Esta Cimeira do Clima é um ponto de partida, novo e irreversível, para um futuro que não podemos adiar”, declarou Marcelo Rebelo de Sousa, nas Nações Unidas.

O Presidente da República deu o exemplo dos compromissos assumidos por Portugal para atingir a neutralidade de emissões de dióxido de carbono até 2050.

“Em duas palavras, que não se diga de nós que falhamos nesta altura critica. Nos não vamos falhar”, declarou o chefe de Estado perante os restantes líderes mundiais.

Cimeira do Clima. Uma grande oportunidade para os líderes mundiais?
Cimeira do Clima. Uma grande oportunidade para os líderes mundiais?

Na abertura da Cimeira da Ação Climática, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmouque "ainda não é demasiado tarde" para atender ao que considera a emergência climática mundial, mas advertiu que o tempo está a esgotar-se.

"A emergência climática é uma corrida que estamos a perder mas que ainda podemos ganhar. A crise climática é provocada por nós e as soluções devem vir de nós. Temos as ferramentas: a tecnologia está do nosso lado", afirmou o português perante dezenas de líderes internacionais.

António Guterres frisou ainda que a cimeira de hoje não é para discursos nem negociações, mas para ação, com compromissos concretos.

"Isto não é uma cimeira de conversações sobre o ambiente. Já tivemos suficientes conversações. Isto não é uma cimeira de negociação do clima, porque não negociamos com a natureza. Isto é uma cimeira de ação sobre o clima. Disse desde o início que o bilhete para entrar não era um discurso bonito, mas ações concretas e vocês estão aqui com compromissos", referiu Guterres.

A intervenção mais critica da cimeira, até agora, partiu da jovem ativista Greta Thunberg, com fortes críticas e apelos aos líderes mundiais, que acusa de lhe terem roubado a infância.

A adolescente sueca, de 16 anos, condenou os políticos por não tomarem medidas contundentes para enfrentar as alterações climáticas.

“Isto é tudo errado. Eu não devia estar aqui. Eu devia estar de volta à escola do outro lado do oceano, mas vocês todos vêm até nós, os jovens, em busca de esperança. Como se atrevem”, declarou Greta Thunberg.

“Vocês roubaram os meus sonhos e a minha infância com as vossas palavras vazias”, atirou a jovem ativista.

Para Greta Thunberg, os planos que os líderes mundiais vão apresentar não serão suficientes para responder ao ritmo de aquecimento do planeta.

As gerações que mais poluíram o planeta colocaram aos ombros dos jovens o impacto extremo das alterações climáticas, acusa a ativista que tirou um ano sabático na escola para lutar pelo ambiente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.