RR
|
A+ / A-

Tancos. Acusação pronta

21 set, 2019 - 12:32

Os sete detidos preventivamente, incluindo o cabecilha do assalto ao paiol, devem manter-se presos.

A+ / A-

Veja também:


A investigação do processo do roubo de armas de Tancos está terminada e o despacho de acusação estará pronto na próxima semana. A informação é adiantada neste sábado pelos semanários “Expresso” e “Sol” e já foi confirmada pela Renascença.

Com a acusação pronta, evita-se a libertação dos detidos preventivos, explica fonte ligada ao processo. Presos preventivamente estão sete suspeitos, entre eles o cabecilha do assalto.

Como há prazos máximos a respeitar para alguém poder estar detido sem culpa formada, se a acusação não estivesse pronta, os detidos teriam de ser libertados. Neste caso, o prazo limite é o dia 27 (próxima sexta-feira).

O caso conta com 25 arguidos, entre os quais o ex-ministro da defesa Azeredo Lopes. E o facto de a acusação ser conhecida na próxima semana poderá significar mais um dossiê delicado para o primeiro-ministro e líder do PS, António Costa, neste período de campanha eleitoral.

Depois do caso das golas anti-fumo, em que o secretário de Estado da Proteção Civil foi constituído arguido e se demitiu, o processo das armas de Tancos pode ser mais uma bomba a rebentar em plena campanha.

Os investigadores consideram que Azeredo Lopes teve conhecimento da encenação da Polícia Judiciária Militar para a recuperação do material roubado.

Numa campanha que tem andado morna, este poderá ser o rastilho para aquecer o debate político.

De acordo com a notícia do “Expresso”, que cita um acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa, o processo de Tancos pode ainda estar relacionado com o tráfico de droga. O acórdão revela que um dos planos dos assaltantes seria o de trocar diretamente as armas por droga.

A Renascença sabe ainda que Tancos foi um dos processos a que o alegado hacker Rui Pinto acedeu ilegitimamente, através da sabotagem aos sistema informático do Ministério Público.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.