A+ / A-

Infarmed retira do mercado medicamentos para a azia com possível agente cancerígeno

21 set, 2019 - 14:29 • Redação

Em causa está a presença de uma substância potencialmente carcinogénia.
A+ / A-

O Infarmed ordenou a recolha e retirada imediata de uma série de lotes de medicamentos protetores gástricos contendo o princípio ativo ranitidina do mercado, depois de ter sido detetada a presença de uma substância potencialmente carcinogénia na sua composição.

"Na sequência da deteção de uma impureza, N-Nitrosodimethylamine (NDMA), na substância ativa ranitidina, o Infarmed determina a recolha e suspensão imediata da comercialização dos lotes de medicamentos (...) O motivo desta determinação decorre da presença em alguns lotes da referida impureza, da classe das nitrosaminas, já identificada em 2018 em alguns fármacos anti-hipertensores", pode ler-se no comunicado divulgado esta sexta-feira pelo Infarmed.

A autoridade do medicamento refere, em comunicado, que todos os doentes em tratamento com medicamentos indicados para a azia, úlcera duodenal ou gástrica e refluxo gastroesofágico devem interromper imediatamente a toma e consultar um médico ou farmacêutico.

"As entidades que possuam embalagens pertencentes a estes lotes em stock não as podem vender, dispensar ou administrar, devendo proceder à sua devolução", acrescenta no mesmo documento.

A lista de todos os medicamentos agora interditos em Portugal pode ser consultada no site do Infarmed.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.