|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Grécia. 12 crianças entre os 60 migrantes resgatadas perto da Ilha de Samos

17 set, 2019 - 11:53 • Redação

Desde o início do ano, a GNR já efetuou 777 patrulhas e auxiliou 2.088 pessoas no Mediterrâneo.

A+ / A-

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR detetou e resgatou 60 migrantes, dos quais 12 crianças, 12 mulheres e 35 homens, a sul da Ilha de Samos, na Grécia.

No decorrer de uma ação de vigilância junto à costa, a equipa de vigilância marítima detetou uma embarcação no mar Egeu na zona este da ilha. “Através dos equipamentos de visão térmica, foi possível verificar que se tratava de duas embarcações de borracha, nas quais seguiam migrantes”, revela o comunicado enviado à redação.

A primeira embarcação, de seis metros, encontrava-se junto à orla costeira, tendo sido intercetada pela embarcação da GNR. A bordo seguiam 30 migrantes, dos quais 9 crianças, 6 mulheres e 15 homens.

O segundo barco, com cerca de 10 metros, “apresentava dificuldades em navegar e foi rebocado até à Marina de Samos”. No interior seguiam 30 migrantes, dos quais 3 crianças, 7 mulheres e 20 homens.

A GNR, nesta missão da FRONTEX (Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira), desenvolve ações nas fronteiras terrestres e marítimas. O objetivo é “prevenir, detetar e reprimir ilícitos relacionados com a imigração ilegal, tráfico de seres humanos e outros crimes transfronteiriços, contribuindo fundamentalmente para a salvaguarda de vidas humanas”.

Desde janeiro, GNR efetuou 777 patrulhas, detetou 217 embarcações e auxiliou 2.088 migrantes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.