O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias de segunda a sexta-feira (05h40, 17h50 e 21h05).
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Pessoas com deficiência - 16/09/2019
O Mundo em Três Dimensões - Pessoas com deficiência - 16/09/2019

O Mundo em três dimensões

Sabia que há um milhão de portugueses com algum tipo de deficiência?

16 set, 2019 • Marta Grosso , José Luís Moreira (sonorização)


O número é da plataforma Turismo Acessível, segundo a qual, já em 2020, haverá 120 milhões de europeus com deficiência, independentemente do grau.

Já lhe aconteceu ser atendido por uma pessoa com deficiência? Se sim, poderá ter-se sentido surpreendido e contente ao mesmo tempo. Afinal, aquela pessoa fora da norma foi contratada para fazer um trabalho absolutamente normal.

A tendência é que o número de pessoas com deficiência, em Portugal e na União Europeia, aumente, devido ao envelhecimento demográfico. Para estas pessoas, nem sempre é fácil encontrar emprego. Mas, tal como para todas as outras, ter trabalho e salário é fundamental para uma vida condigna.

Tendo um emprego, é possível cumprir os deveres fiscais e pedir um empréstimo ao banco para comprar casa, por exemplo.

De acordo com a Lei nº 64 de 2014, as pessoas com deficiência têm direito a uma bonificação no crédito à habitação. Isso inclui, não apenas a compra de casa, como a aquisição de uma garagem ou de lugar de estacionamento numa garagem coletiva.

E se a pessoa quiser construir ela própria uma garagem privativa, pode também beneficiar de uma bonificação no empréstimo.

Portugal está entre os países que assinaram a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Quer isso dizer que se compromete a criar condições de vida destas pessoas, nomeadamente no acesso ao emprego.

Sobre este tema, recorde a reportagem “A diferença que faz um emprego na vida de uma pessoa com deficiência”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.