A+ / A-

Espanha. Piores chuvas dos últimos 140 anos arruínam 300 mil hectares de cultivo

16 set, 2019 - 06:52 • Redação

Chuvas torrenciais provocaram seis mortos, deixaram estradas e linhas ferroviárias intransitáveis e provocaram inundações nas regiões de Valência, Múrcia e Andaluzia.
A+ / A-
Chuvas torrenciais no sul de Espanha são “situação dramática”
Chuvas torrenciais no sul de Espanha são “situação dramática”

As primeiras estimativas de duas associações agrárias espanholas apontam para uma perda de cerca de 300 mil hectares de cultivo, uma área equivalente à província de Alava.

Segundo a delegação valenciana da Agência Meteorológica do Estado (Aemet), o temporal é o mais grave dos últimos 140 anos em Alicante e Múrcia, tendo acalmado desde domingo.

Os meteorologistas chamam "gota fria" ao fenómeno meteorológico que tem arrasado a zona considerada a "horta da Europa".

Este fenómeno acontece quando uma frente de ar polar frio choca com ar quente e húmido do mar Mediterrâneo.

As chuvas torrenciais que persistem em Espanha e já fizeram seis mortos obrigaram a centenas de novas evacuações durante o fim-de-semana, avança o jornal "El País".

Segundo o Ministério do Interior, cerca de 3.500 pessoas foram obrigadas a deixar as suas casas por causa do mau tempo no sudeste de Espanha.

Depois de três dias cercados por água, Orihuela (Alicante), com 75 mil habitantes, conseguiu reabrir os canais de comunicação, no domingo.

Ainda é cedo para quantificar os danos causados pelas cheias, a mais catastrófica desde 1879, quando mais de mil pessoas morreram em Múrcia e Orihuela, de acordo com a delegação valenciana da Agência Meteorológica do Estado (Aemet), mas as primeiras previsões não são positivas.

A estimativa inicial da Associação de Jovens Agricultores (Asaja) de Alicante aponta para uma perda de cerca de 150 mil hectares de colheitas de cítricos, vegetais e uvas, entre Elche e Pilar de la Horadada.

Em Múrcia, o Sindicato dos Pequenos Agricultores e Pecuária (UPA) teme que se perca a mesma área que em Alicante, devido à quebra das infraestruturas de irrigação e inundações.

O presidente valenciano, o socialista Ximo Puig, anunciou, este domingo, a sua ideia de reivindicar “uma espécie de plano Marshall” de ajuda às zonas afetadas.

Em Orihuela, onde o presidente se deslocou na quinta-feira da última semana, Puig especificou que o plano deveria incluir o apoio do governo espanhol, da EU e das restantes administrações.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.