A+ / A-

Bruno Fernandes “é o jogador mais massacrado"

15 set, 2019 - 22:22 • Redação

Leonel Pontes considera que no jogo jogado, o Sporting merecia ter ganho.
A+ / A-

O treinador do Sporting lamenta a expulsão de Bruno Fernandes na partida do Bessa e lembra que o internacional é “um dos melhores médios portugueses da atualidade que provavelmente é o jogador mais massacrado com faltas e agressividade sobre ele”.

Leonel Pontes lembra que durante os 90 minutos “as coisas passaram um pouco impunes em função daquilo que foi a realidade do jogo. Ele acabou expulso e pelo que percebi o lance não é para expulsão, mas é decisão do árbitro. Não falo da expulsão, falo antes, do número de faltas que o Bruno Fernandes sofreu e ele não foi protegido neste jogo”.

Em declarações à Sporttv, o técnico interino dos leões acrescentou que, agora, “o caminho é preparar o jogo com o PSV, ver como estão os jogadores e preparar a estratégia para o jogo.”

Sobre o jogo – que terminou com um empate 1-1 – Pontes considera que “foi um jogo equilibrado”.

“Sabíamos que o Boavista ia defender, baixar as linhas e jogar no nosso erro. Sofremos numa perda de bola em que tivemos de fazer falta e o Boavista marcou. Reagimos bem a esse golo, mas não tivemos qualidade ofensiva na primeira parte, sobretudo no corredor esquerdo, faltam dinâmicas o que é normal. Faltaram dinâmicas porque o Acuña nunca jogou ligado aos companheiros, o Bolasie e a outros jogadores”, referiu.

Leonel Pontes refere que “na segunda parte corrigimos algumas coisas, começámos a atacar mais por fora e criámos algumas situações de golo. Em função do que foram as oportunidades de golo, acho que podíamos justificar a vitória”.O Boavista e o Sporting empataram 1-1 no estádio do Bessa, com golos de Marlon e Bruno Fernandes.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.