A+ / A-

Secretário de Estado das Comunidades diz que Roberto Leal simboliza uma geração

15 set, 2019 - 17:25 • José Bastos , João Pedro Barros

José Luís Carneiro contou à Renascença o encontro que teve com o músico em janeiro, tendo ficado impressionado com “um espírito muito forte”.
A+ / A-

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, considera que a morte de Roberto Leal, este domingo, constitui uma “perda muito significativa” para a comunidade portuguesa no Brasil e que o cantor “simboliza” uma geração de emigrantes que ultrapassou preconceitos e dificuldades.

“Foi uma geração que, com a sua força, trabalho e mérito, conseguiu vencer os preconceitos e fazer-se respeitar. Trouxe ao Brasil outra imagem do país e de Portugal”, declarou José Luís Carneiro à Renascença, evocando as “décadas de 50 e 60”.

O governante nota que os portugueses deixavam um país “muito pobre” e eram vistos como “vindo de um regime atrasado”. “Ele era o símbolo da música tradicional e popular portuguesa, numa síntese cultural com as manifestações musicais do Brasil. Foram recriadas e adaptadas aos tempos diversos”, acentuou.

José Luís Carneiro adiantou que já enviou as condolências à família – que continuou a “investir em Portugal”, mesmo com o cantor a residir no Brasil –, e contou um recente encontro que teve com o músico.

“Tive oportunidade de estar com ele em janeiro, numa conversa com vários amigos. Tive gosto em conhecê-lo pessoalmente, tratava-se de um espírito muito forte, determinado, com um enraizamento muito fortes nas origens, fazendo delas uma força que o fez ser reconhecido e admirado no Brasil. Na altura pudemos circular por dois ou três locais e ver a admiração que as gerações mais novas e mais velhas tinham por ele”, recordou.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • John L ramos
    16 set, 2019 São Paulo 14:20
    Talvez ele seja, entre todos, o português mais querido no Brasil