A+ / A-

Presidente da República defende que SNS merece "constante aposta"

15 set, 2019 - 14:04 • Lusa

Marcelo diz que em relação ao Serviço Nacional de Saúde “o que une os Portugueses é muito mais do que aquilo que os divide”.
A+ / A-

O Presidente da República disse este domingo que o Serviço Nacional de Saúde, que nasceu há 40 anos e que representa uma das conquistas do 25 de Abril, "merece constante aposta em objetivos, orgânicas e meios de atuação".

Numa mensagem divulgada no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa saúda os 40 anos do Serviço Nacional de Saúde considerando representar "uma das inegáveis conquistas do 25 de Abril de 1974 e da Democracia Portuguesa" que justifica a celebração, mas, não menos do que isso, merece "constante aposta em objetivos, orgânicas e meios de atuação".

O Presidente da República, que, como deputado constituinte, votou a Lei Fundamental, recorda ainda "o que ela representou de desenvolvimento humano e justiça social e sublinha a sua importância presente e futura, como peça-chave no sistema global de saúde e também como denominador entre os Portugueses, para além de divergências doutrinárias, ideológicas e partidárias".

“Quanto ao Serviço Nacional de Saúde, assim como quanto a outras relevantes matérias de regime, o que une os Portugueses é muito mais do que aquilo que os divide", disse, adiantando que "o princípio e o fim do Serviço Nacional de Saúde são os portugueses".

A Lei n.º 56/79, que criou o SNS, foi publicada em Diário da República em 15 de setembro de 1979, concretizando o direito à proteção da saúde, a prestação de cuidados globais de saúde e o acesso a todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica e social.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.