A+ / A-

Fogo que fez 10 feridos na Sertã já está dominado

13 set, 2019 - 18:34 • Redação com Lusa

Mantêm-se no terreno mais de 500 operacionais, apoiados por 168 veículos e dois meios aéreos, para evitar reacendimentos.
A+ / A-

O incêndio da Sertã, que chegou a ter grandes dimensões e que fez um total de 10 feridos - nove bombeiros e um civil - já está dominado, disse à Renascença Francisco Peraboa, comandante distrital de operações e socorro de Castelo Branco, na manhã de sábado.

Segundo o comandante o fogo foi dominado já na manhã de sábado e seguem-se agora os trabalhos de consolidação do rescaldo, que devem durar todo o dia.

"Mantemos no terreno 563 operacionais, 168 veículos e dois meios aéreos. O perímetro está em rescaldo e estamos em ações de consolidação do mesmo rescaldo. Apoiam estas ações também cinco máquinas de rasto, para prevenir reativação de qualquer foco mais perigoso", afirmou à Renascença.

O mesmo responsável adiantara já, na noite de sexta-feira, sem contabilidade final, que terão ardido "uma rulote e algumas habitações devolutas".

Na localidade de Cumeada, as pilhas de madeira armazenadas no exterior de uma fábrica foram atingidas pelas chamas, sem que as instalações estejam em perigo: "A fábrica está protegida", adiantou Francisco Peraboa.

O incêndio deflagrou pelas 14h50, na localidade de Marmeleiro, concelho da Sertã. Segundo a página na Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, à 1h15 deste sábado estavam no terreno a combater as chamas 578 operacionais, apoiados por 175 viaturas.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Castelo Branco, neste incêndio foram retiradas três pessoas com mobilidade reduzida da localidade de Cumeada, "por precaução".

[Notícia atualizada às 9h34 de 14/09]


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.