A+ / A-
Moçambique

Pelo menos dez mortos à saída de comício em Nampula

11 set, 2019 - 23:11 • Redação com Lusa

Há ainda 85 feridos, resultado de um incidente num evento organizado pela Frelimo, dirigida pelo candidato à Presidência de República e atual chefe de Estado, Filipe Nyusi. Primeira previsão do números de vítimas era superior.
A+ / A-

A Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) anunciou esta quarta-feira a morte de 10 pessoas e ferimentos noutras 85 quando uma multidão saiu de forma desordenada de um comício eleitoral num estádio de Nampula, principal cidade do norte de Moçambique.

"Neste incidente, 95 membros e simpatizantes foram afetados: 85 feridos", 74 dos quais tiveram alta, e 10 mortos, "seis mulheres e quatro homens", anunciou Agostinho Trinta, primeiro secretário da Frelimo em Nampula, em conferência de imprensa.

O número total de mortos difere da informação recebida inicialmente, no Hospital de Nampula, pelo grupo coordenador das ações de campanha e que apontava para a entrada de 16 pessoas sem vida, disse à Lusa fonte da equipa.

"Foi constituída uma comissão para acompanhamento das famílias", acrescentou Agostinho Trinta.

A Frelimo "aguarda junto das autoridades policiais o esclarecimento das reais causas" do incidente, concluiu.

O incidente aconteceu ao princípio da noite, pelas 17h30 (menos uma hora em Lisboa), após um comício da Frelimo dirigido pelo candidato à Presidência de República e atual chefe de Estado, Filipe Nyusi, no Estádio 25 de Junho, na capital provincial.

Contactado pela Lusa, o porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) remeteu detalhes sobre a ocorrência para quinta-feira.

O Papa Francisco esteve na última semana em Moçambique, no âmbito de uma vista em que esteve também nas ilhas de Madagáscar e Maurícias.

[Notícia atualizada às 0h15 de 12/09.]


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.