A+ / A-

APAV distinguida com o prémio D. António Francisco dos Santos

11 set, 2019 - 07:00 • Henrique Cunha

Galardão tem um valor de 75 mil euros e resulta de uma iniciativa solidária da Associação Comercial do Porto, da Irmandade dos Clérigos e da Santa Casa do Porto. O objectivo é homenagear o segundo aniversário da morte do Bispo do Porto.

A+ / A-

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) recebe o prémio D. António Francisco dos Santos, no valor de 75 mil euros. Em 2018, a distinção foi entregue a duas iniciativas do Serviço Jesuíta aos Refugiados.

Para o presidente da APAV, João Lázaro, a distinção “é um reconhecimento que muito honra a instituição” e que “vem encorajar a APAV”, dando-lhe “mais responsabilidade pelo trabalho que faz há quase 30 anos no apoio a quem é vítima de crime, designadamente as vítimas dos crimes mais complexos, as mais vulneráveis e, muitas vezes, as vítimas em situação de maior desfavorecimento”.

João Lázaro diz que o galardão “significa também o reconhecimento e a visibilidade desse reconhecimento por parte de instituições ligadas à comunidade católica”, que em seu entender “honra a parceria que a APAV tem realizado de uma forma informal ao longo dos anos com todas as comunidades, em que há vítimas de crime”. Segundo a associação, o prémio destaca, por outro, lado “os valores e princípios” de uma instituição que “serve todas as comunidades e que é claramente uma associação não confessional”.

À Renascença lembra que este prémio homenageia “uma pessoa que era conhecida pelo seu carácter humanista” - um valor intrínseco à matriz identitária da APAV.

Na primeira edição, o prémio D. António Francisco dos Santos distinguiu o trabalho dos jesuítas na área dos migrantes e refugiados.

Em 2018, a Irmandade dos Clérigos, a Santa Casa da Misericórdia do Porto e a Associação Comercial do Porto atribuíram o prémio ao Centro S. Cirilo e ao Centro de acolhimento/atendimento Santo António do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) do Porto, cuja assistência é da responsabilidade do Serviço Jesuíta aos Refugiados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.