A+ / A-

PS pede mais força para governar sem "empecilhos"

11 set, 2019 - 19:56 • Paula Caeiro Varela, com redação

Vice-presidente da bancada parlamentar socialista, Carlos Pereira, deixa críticas aos parceiros da "Geringonça".
A+ / A-
PS pede mais força para  governar sem "empecilhos" - reportagem de Paula Caeiro Varela
PS pede mais força para  governar sem "empecilhos" - reportagem de Paula Caeiro Varela
Reportagem de Paula Caeiro Varela

O PS precisa de mais força para poder governar sem "empecilhos", apelou esta quarta-feira o vice-presidente da bancada parlamentar socialista, Carlos Pereira.

As declarações tiveram lugar na reunião da comissão permanente da Assembleia da República e causaram comoção nas bancadas da esquerda.

O PCP e os Verdes alertaram para os perigos de uma eventual maioria absoluta do PS e o deputado Carlos Pereira respondeu com críticas aos parceiros de “Geringonça”.

“No ruído da pré-campanha para outubro de 2019, até parece que a atual solução governativa foi desenhada a pensar no Bloco de Esquerda e no PCP, como se os portugueses ansiassem pela coletivização forçada dos meios de produção, com expropriações em massa e nacionalizações em catadupa. Sabemos todos que não”, declarou o vice-presidente da bancada parlamentar socialista.

O deputado madeirense rematou pedindo mais força para o PS poder governar “sem empecilhos”, para poder “impedir com todas as nossas forças o regresso da austeridade, do aumento colossal de impostos, do mito que o aumento dos salários provoca desemprego, das previsões falhadas e dos velhos do Restelo que tratam o diabo por tu e que provocam ameaças da Europa contra os portugueses”.

Nesta que foi a última reunião da comissão permanente do Parlamento, antes das eleições de 6 de outubro, o PCP e os Verdes votaram contra o voto de pesar pela morte de Alexandre Soares dos Santos. O Bloco de Esquerda absteve-se.

Já o voto de congratulação do CDS pela nomeação de D. José Tolentino de Mendonça como cardeal mereceu a abstenção do PCP.


legislativas 2019 promosite
Últimaslegislativas 2019
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.