A+ / A-
Mara Vieira

Valadares Gaia quer ser a surpresa na luta a três pela Liga feminina

11 set, 2019 - 21:00 • Inês Braga Sampaio

O campeonato arranca no domingo. Mara Vieira, treinadora do Valadares, prevê grande equilíbrio, com o recém-promovido Benfica a intrometer-se nas contas de Braga e Sporting.
A+ / A-

Mara Vieira, treinadora do Valadares Gaia, espera uma Liga feminina equilibrada, mesmo com a presença de três potências - Braga, Sporting e Benfica -, e aposta na sua equipa como surpresa da competição.

Em entrevista a Bola Branca, Mara Vieira vê o recém-promovido Benfica como "claramente candidato a vencer o campeonato, como se viu com a conquista da Supertaça", frente ao Braga. As águias perfazem, com arsenalistas e leoas, um lote de equipas "candidatas a vencer a Liga". Para a treinadora, contudo, o foco é a competitividade da prova.

"O que me parece de forma global é que a Liga está mais forte. Penso que vai ser mais competitiva, ano após ano há resultados cada vez mais equilibrados e esperemos que este ano seja ainda mais e que a Liga possa evoluir nesse sentido, para que tenha melhores jogos e melhores espetáculos também", projeta a técnica do Valadares Gaia.

Mara Vieira acredita que o Valadares, que na época passada chegou à final da Taça de Portugal, tendo sido derrotado pelo Benfica, pode surpreender os grandes e "disputar os primeiros lugares".

"Espero que sejamos nós a surpresa e que façamos um bom campeonato. O que posso prometer é que vamos disputar cada jogo para vencer. Não sei até onde é que podemos ir, mas espero que possamos disputar os primeiros lugares. Termos logo a permanência assegurada e depois logo vemos até onde conseguimos ir", afiança a treinadora.

Mara Vieira não teme que o Benfica repita no principal escalão aquilo que fez na segunda divisão, isto é, ir de goleada em goleada até ao título:

"A segunda divisão é uma realidade completamente diferente. O Benfica tinha uma equipa profissional, com jogadoras com muito nível e um bom treinador, e, de facto, estavam numa divisão que não é delas. Este ano, quer pelo nível e organização das equipas, quer pelo nível das jogadores, é completamente distinto. Espera-se alguns resultados desequilibrados, como acontece no masculino, mas espera-se que seja competitivo. Acho que as equipas mais pequenas começam a colocar mais dificuldades às grandes e que os resultados começam a ser mais equilibrados."

Procurar valor no estrangeiro para polir as equipas

Este verão acentuou-se uma tendência já vista no anterior: as equipas portuguesas, incluindo o Valadares, contrataram várias jogadoras estrangeiras. Mara Vieira aprova esta política de mercado, desde que seja usada a favor do produto nacional e não em detrimento dele:

"Os reforços que se vão buscar é porque, internamente, ainda não temos qualidade em número suficiente para que as equipas tenham a qualidade que pretendem. Isto só é mau quando nós temos jogadores internamente com qualidade e vamos buscar jogadoras estrangeiras. Se vamos buscar jogadoras que acrescentam qualidade ao campeonato, é uma mais-valia. Todas as equipas que possam ir buscar jogadoras fora vão acrescentar qualidade ao nosso campeonato, vão dar mais qualidade às jogadoras, mais qualidade de treino, mais qualidade de jogo e isso é fundamental."

A treinadora do Valadares Gaia compreende que os grandes olham muito para o mercado estrangeiro "porque ainda não conseguem encontrar em Portugal jogadoras com a qualidade que pretendem". Não obstante, tem uma solução para esse problema: "Precisamos de ter mais formação para conseguir ter mais qualidade ainda nas jogadoras portuguesas".

O campeonato feminino de futebol arranca no domingo, com 12 equipas um clássico: Sporting e Braga defrontam-se em Alcochete, às 17h30. O jogo de abertura é a receção do Benfica ao A-Dos-Francos, às 16h00, no Seixal. O Valadares Gaia estreia-se no terreno do Cadima, à mesma hora.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.